Contabilidade

Contabilidade Sorocaba Assessoria Contabil Sorocaba



Escritorio de Contabilidade Sorocaba Imposto de Renda Sorocaba



Contabilidade Sorocaba Assessoria Contabil Sorocaba



Escritorio de Contabilidade Sorocaba Imposto de Renda Sorocaba



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


17/06 - Número de smartphones vendidos no Brasil deve cair em 2019
Apesar disso, receita da venda de aparelhos deve aumentar. De acordo com IDC, número de unidades vendidas deve cair 2,4%, mas faturamento vai subir 12%. As vendas de smartphones no Brasil em 2019 devem cair 2,4%, para 43,38 milhões de unidades, informou nesta segunda-feira (17) a empresa de pesquisa de mercado IDC. Apesar disso, a receita das vendas de aparelhos deve subir 12%, para R$ 59,6 bilhões. “A demanda por dispositivos com maior memória interna, câmeras múltiplas, telas maiores e com borda infinita, e recursos inteligentes deve continuar impulsionando as vendas nas faixas média e premium, com um crescente uso dos smartphones para assistir filmes e acesso a conteúdo de streaming”, disse o analista do IDC Renato Meireles, em comunicado à imprensa. O recuo é menor do que o IDC havia estimado no final do ano passado, quando previa queda de 4,3% nas vendas de 2019 . O crescimento esperado na receita na ocasião era de 7%. No primeiro trimestre, segundo os dados mais recentes da companhia, as vendas de celulares inteligentes no Brasil caiu 6% sobre o mesmo período de 2018, para 10,7 milhões de unidades. O faturamento, porém, subiu 8% no período, a R$ 13,7 bilhões.
Veja Mais

17/06 - Câmara cria comissão especial para analisar proposta de reforma tributária
Ato de criação foi lido em plenário, e agora líderes partidários deverão indicar integrantes da comissão. CCJ da Câmara deu aval à tramitação da proposta em maio. A Câmara dos Deputados criou nesta segunda-feira (17) a comissão especial responsável por discutir a proposta de reforma tributária. O ato de criação foi lido em plenário, e agora os líderes partidários deverão indicar os integrantes da comissão. >> Leia detalhes sobre a proposta mais abaixo Em maio, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a admissibilidade da proposta, ou seja, deu aval à tramitação por entender que a reforma está de acordo com a Constituição. A reforma tributária é uma proposta de emenda à Constituição (PEC). O texto a ser aprovado pela comissão especial será submetido ao plenário da Câmara, onde precisará dos votos de pelo menos 308 dos 513 deputados, em dois turnos de votação, para ser aprovado. CCJ aprova texto de reforma tributária proposto pela Câmara Entenda a PEC em discussão O texto foi apresentado no começo de abril e é assinado pelo líder do MDB, Baleia Rossi (SP). A proposta tem como referência sugestões do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF), cujo diretor é o economista Bernard Appy. Entre outros pontos, a PEC propõe a substituição de cinco tributos por um único imposto sobre bens e serviços, chamado de IBS. Os tributos que deixarão de existir são: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins); contribuição para o Programa de Integração Social (PIS). O texto sugere ainda mecanismos de transição, tanto para empresas quanto para governos estaduais e municipais. "O modelo proposto busca simplificar radicalmente o sistema tributário brasileiro, sem, no entanto, reduzir a autonomia dos Estados e Municípios, que manteriam o poder de gerir suas receitas através da alteração da alíquota do IBS", diz a justificativa da PEC.
Veja Mais

17/06 - Embraer assina acordo de suporte a nova frota de jatos da Azul
O jato E195-E2 é a segunda geração de aviões comerciais da família de E-Jets da Embraer; a Azul, que encomendou 51 unidades, será a primeira a ter aviões desse modelo. A Embraer assinou um contrato de longo prazo com a Azul para o suporte de peças reparáveis para a nova frota de jatos E195-E2 que a aérea vai adquirir. O jato E195-E2 é a segunda geração de aviões comerciais da família de E-Jets da Embraer e a Azul encomendou 51 unidades — a companhia será a primeira a ter aviões desse modelo. A expectativa é que a Azul receba a primeira unidade no segundo semestre. O contrato assinado nesta segunda-feira tem duração de “vários anos”, segundo a Embraer, e inclui serviços de engenharia e manutenção avançada de peças a partir dos armazéns de componentes da Embraer em Fort Lauderdale, na Flórida (EUA). A Azul aderiu ao programa de serviços da Embraer em dezembro de 2008, quando começou a operar os E-Jets da primeira geração, e mais recentemente ao Programa de Gestão de Manutenção. Com o novo contrato, a companhia aérea passa a ter cobertura para toda a sua frota de jatos Embraer. O Programa Pool de serviços da Embraer atualmente apoia mais de 40 companhias aéreas em todo o mundo. O E195-E2 é o segundo dos três novos modelos de aeronave da família de jatos E2 desenvolvidos para suceder a primeira geração dos E-Jets. Jatos do modelo E190-E2 já estão sendo operados pela norueguesa Widerøe, a maior companhia aérea regional da Escandinávia, e pela Air Astana, do Cazaquistão.
Veja Mais

17/06 - Cotação do bitcoin supera US$ 9,2 mil e bate maior valor em 13 meses
Cotação é influenciada pela aposta do Facebook em seu próprio tipo de criptomoeda. Bitcoin Shutterstock O bitcoin é cotado na tarde desta segunda-feira (17) em um nível inédito em 13 meses, por volta de US$ 9,2 mil. No final de semana, chegou a atingir US$ 9.381,82, estimulado pela aposta do Facebook em seu próprio tipo de criptomoeda. Segundo os dados coletados pelo portal especializado CoinDesk, a moeda digital beirou US$ 9,4 mil no domingo (16) e se manteve durante todo o final de semana acima da barreira de US$ 9 mil. O Facebook deve anunciar na terça-feira (18) sua nova criptomoeda, um projeto que conta com o apoio de empresas como Visa, Mastercard, PayPal e Uber, que farão parte de um consórcio batizado como Projeto Libra e que atuará como supervisor da divisa. Histórico O bitcoin perdeu 80% do valor em 2018, de US$ 20 mil para US$ 3 mil. Em maio de 2019, a alta foi de 59%, passando de US$ 5.297,94 no dia 1º para US$ 8.415,46 no fechamento do mês. Até agora neste ano, a principal criptomoeda de referência se valorizou 142%, desde os US$ 3.800 com os quais começou 2019.
Veja Mais

17/06 - CPI do BNDES marca para dia 26 depoimento de Joaquim Levy como testemunha
Comissão da Câmara quer ouvir o ex-presidente do banco sobre supostas irregularidades em gestões anteriores. Levy pediu demissão do comando do BNDES no domingo (16). Joaquim Levy pediu demissão da presidência do BNDES neste domingo (17) Marcos Corrêa/Presidência da República A CPI da Câmara que investiga supostas irregularidades no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) marcou para 26 de junho o depoimento do agora ex-presidente da instituição financeira Joaquim Levy. O economista será ouvido pelos deputados na condição de testemunha para dar esclarecimentos sobre a gestão do BNDES. O requerimento que propôs a ida de Levy à CPI para falar das supostas irregularidades cometidas no banco em gestões anteriores havia sido aprovado no começo de abril. No entanto, a data do depoimento foi definida somente nesta segunda-feira (17), na primeira reunião do colegiado depois do anúncio da demissão. Joaquim Levy pediu demissão do comando do BNDES neste domingo (16), menos de 24 horas depois de o presidente Jair Bolsonaro ter dito, em uma entrevista coletiva, que o economista estava com a "cabeça a prêmio". Levy pede demissão da presidência do BNDES; Guedes ainda não anunciou substituto Bolsonaro cobrava de Levy a demissão do advogado Marcos Barbosa Pinto da diretoria de Mercado de Capitais do banco de fomento. Barbosa Pinto pediu demissão do cargo ainda no sábado, logo após o presidente da República ter exigido a saída dele da instituição pública. Veja a repercussão do pedido de demissão de Joaquim Levy A data do depoimento de Levy foi acertada pelo presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), em acordo com os outros integrantes do colegiado. Autores do requerimento que propôs a ida de Levy à CPI, os deputados Elias Vaz (PSB-GO), Alencar Santana Braga (PT-SP) e Margarida Salomão (PT-MG) terão prioridade na ordem de inscritos para questionar o ex-presidente do BNDES.
Veja Mais

17/06 - Após clientes do Inter reclamarem de falha em suas contas, banco diz que o problema foi resolvido
Alguns correntistas usaram as redes sociais para relatar que seus saldos estavam 'zerados' indevidamente. Fachada do Banco Inter Divulgação Correntistas do banco digital Inter utilizaram redes sociais para reclamar de problemas nesta segunda-feira (17), com alguns deles afirmando que os saldos de suas contas correntes estavam zerados. Procurado, o banco afirmou que houve nesta manhã uma "instabilidade na visualização de saldo em uma pequena parcela de contas" e que todos os acessos e visualizações de saldo "já foram normalizados". Segundo o banco, os acessos foram temporariamente interrompidos "para as devidas correções e é importante esclarecer que o fato não representou prejuízos financeiros para nenhum correntista". O Inter não informou de imediado quantos correntistas tiveram problemas. Questionado pelo G1, o banco não informou qual a causa do problema, quanto tempo exatamente ele durou e a quantidade de clientes afetados. Mais cedo, no Twitter, usuários do banco reclamavam que os saldos de suas contas estavam zerados e que não conseguiam realizar pagamentos. O mesmo ocorreu na conta oficial do banco no Facebook, onde uma usuária teve como resposta do banco que a "impossibilidade de visualizar o saldo/extrato é pontual e já estamos atuando. Dessa forma, orientamos que aguarde, pois em breve será solucionado." O banco O Banco Inter encerrou o primeiro trimestre com 1,9 milhão de correntistas, número 3,6 vezes maior ao registrado um ano antes. De janeiro a março, foram abertas 489 mil novas contas. No fim de 2018, o Banco Inter fez um acordo com o Ministério Público Federal, comprometendo-se a pagar R$ 1,5 milhão como forma de reparar danos morais coletivos decorrentes de vazamento de dados de quase 20 mil correntistas.
Veja Mais

17/06 - Monsanto investigou 600 pessoas na França e na Alemanha para tentar influenciar opiniões sobre glifosato
Listas continham nomes de políticos, cientistas e jornalistas, classificados de acordo com a suposta facilidade de serem influenciados. Empresa é investigada por conta do material. A Bayer, que comprou a Monsanto, enfrenta processos judiciais por conta do agrotóxico Roundup, à base de glifosato, acusado de causar câncer Yves Herman/Reuters A Monsanto, que pertence ao grupo químico alemão Bayer, investigou ilegalmente 600 pessoas na França e na Alemanha, para conhecer suas posturas sobre os organismos geneticamente modificados e sobre o glifosato, anunciou o grupo nesta segunda-feira (17). "Até o final da semana passada, todas as pessoas que estão nas listas na França e na Alemanha foram contactadas", afirmou a Bayer, em sua conta no Twitter. "No total, trata-se de 600 pessoas", acrescentou. Corte francesa cancela licença de herbicida da Monsanto por preocupações com segurança A Monsanto criou listas de políticos, cientistas e jornalistas. Os nomes eram classificados de acordo com a opinião de cada um sobre os pesticidas e os organismos transgênicos e também com a suposta facilidade de ser influenciado. Também houve listas desse tipo na Itália, Holanda, Polônia, Espanha e Reino Unido, formadas por membros de instituições europeias. A Justiça francesa abriu uma investigação por suspeitas de "coleta de dados pessoais por meios fraudulentos, desleais, ou ilícitos". As listas são de 2016, antes de a Bayer comprar a Monsanto. A operação foi concluída no ano passado, por US$ 63 bilhões de dólares. Desde o negócio, a Bayer enfrenta ainda vários processos judiciais nos Estados Unidos pelo Roundup, um pesticida à base de glifosato, acusado de provocar câncer.
Veja Mais

17/06 - Produção de peixe cresce no país e consumo pode aumentar ainda mais
Proteína é rica em ômega 3 e cada brasileiro consome cerca de 9 kg por ano. Peixe é agro A proteína do peixe é uma das mais consumidas no mundo. No Brasil, a produção de peixe aumenta com rapidez. Em 2018, passou de 700 mil toneladas, 4% a mais que no ano anterior. Rico em ômega 3, substância que ajuda a manter a saúde, o peixe está no petisco do aperitivo, está presente na culinária japonesa, nos grelhados, no hambúrguer, no espeto, na moqueca. Cada brasileiro come 9 kg por ano, e o consumo ainda pode crescer muito.
Veja Mais

17/06 - Banco Inter sofre instabilidade e usuários relatam saldo zerado
Nas próprias redes sociais, o Inter confirma o problema e diz que está trabalhando para solucionar a instabilidade. Os sistemas do Banco Inter registram instabilidade nesta segunda-feira (17). Nas redes sociais, usuários afirmam que estão com dificuldades para acessar o aplicativo do banco e que, em alguns casos, o saldo de suas contas estariam zerados. Um usuário escreveu no Twitter: “Passei vergonha hoje. Sistema caiu e meu dinheiro sumiu”. Outro usuário também relatou problemas. “Cadê meu dinheiro?! Entrei na minha conta agora e estou negativa! Não é possível”. Initial plugin text Nas próprias redes sociais, o Inter confirma o problema e diz que está trabalhando para solucionar a instabilidade. “Pessoal, a impossibilidade de visualizar o saldo é pontual e já estamos atuando. Dessa forma, orientamos que aguardem, pois em breve será solucionado”. Outra cliente do banco disse que tentou fazer uma transferência e não conseguiu, com o sistema do banco afirmando que ela já teria atingido o limite diário, sendo que ela alega não ter feito nenhuma operação do tipo hoje. “Ligo e me dizem que foi por ‘decisões internas do banco’ e devo aguardar 48 horas pra operar”. Em resposta a essa postagem, o Inter disse que “o bloqueio temporário da conta é uma medida de segurança”. Procurado pelo Valor, o Inter ainda não se manifestou até a publicação desta reportagem. Em agosto do ano passado, o Inter foi alvo de um “incidente de segurança da informação”, vítima de tentativa de extorsão de um colaborador. O banco admitiu que os dados de uma parcela dos correntistas foram vazados e em dezembro fez um acordo com o Ministério Público do Distrito Federal, em que se comprometeu a pagar R$ 1,5 milhão.
Veja Mais

17/06 - Protecionismo bate recorde histórico em 2018 puxado por EUA e China, diz Comissão Europeia
Segundo relatório, 23 países não pertencentes à União Europeia (UE) implantaram 45 novas barreiras comerciais em 2018. O protecionismo em todo mundo atingiu um recorde no ano passado, devido a novas barreiras criadas para restringir o comércio na China e nos Estados Unidos, de acordo com um relatório da Comissão Europeia publicado nesta segunda-feira (17). O Relatório sobre Barreiras Comerciais e Investimentos da Comissão afirma que 23 países não pertencentes à União Europeia (UE) implantaram 45 novas barreiras comerciais em 2018, elevando o número total a um recorde de 425 medidas em 59 diferentes países, "custando bilhões de euros aos negócios europeus todos os anos". A China e a Rússia tiveram as medidas comerciais mais "problemáticas", com 37 e 34 medidas, respectivamente, segundo o relatório. Os maiores impactos para as exportações europeias vieram de medidas introduzidas pela China, Estados Unidos, Índia e Argélia, que respondem por 80% de todas as exportações afetadas por novas medidas, com foco predominante nos setores de aço, alumínio e tecnologias da informação e comunicação. isso é muito preocupante", disse a comissária de Comércio da UE, Cecilia Malmstrom, em entrevista coletiva."Esta é, infelizmente, uma tendência global e não vemos um fim para isso no curto prazo", acrescentou. No geral, as novas barreiras implementadas no ano passado afetaram ou arriscaram afetar 51,4 bilhões de euros das exportações da União Europeia (UE). No entanto, o relatório constatou que 123 medidas externas foram eliminadas desde o início da atual Comissão em 2014, levando a 6,1 bilhões de euros em exportações extras da UE em 2018.
Veja Mais

17/06 - Programa com 1.290 vagas na região de Campinas em cursos gratuitos de qualificação prorroga inscrições
Os interessados devem se inscrever gratuitamente até o próximo domingo (23), pelo site. Jovens podem se inscrever para vagas em cursos gratuitos de qualificação no Programa Novotec. Reprodução/TV Tem O Programa Novotec, do governo do estado, anunciou nesta segunda-feira (17) que prorrogou as inscrições para os cursos gratuitos de qualificação, voltado aos alunos de ensino médio da Secretaria Estadual da Educação. Na região de Campinas (SP) estão abertas 1.290 vagas para 13 tipos de cursos. As inscrições podem ser feitas até domingo (23). Veja a relação completa de vagas abaixo. O programa de ensino integrado permite que alunos do ensino médio cursem um curso técnico ao mesmo tempo que o currículo tradicional. As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas pelo site. O projeto é feito em parceria com o Centro Paula Souza, que administra as escolas técnicas estaduais (Etecs) e as faculdades de tecnologia (Fatecs) do governo paulista. Já as inscrições para o Novotec Virtual para os cursos de qualificação profissional na modalidade de educação a distância (Ead), estarão abertas entre os dias 24 de junho a 7 de julho. Vagas disponíveis na região Americana - 100 vagas Desenvolvimento de jogos digitais - 20 vagas Criação de sites e plataformas digitais - 20 vagas Excel aplicado à área administrativa - 20 vagas Auxiliar de logística - 20 vagas Segurança cibernética básica - 20 vagas Amparo - 60 vagas Gestão de pequenos negócios - 40 vagas Montagem e manutenção de computadores - 20 vagas Campinas - 290 vagas Video maker / Youtuber - 30 vagas Gestão de pequenos negócios - 30 vagas Desenvolvimento de jogos digitais - 30 vagas Criação de sites e plataformas digitais - 50 vagas Excel aplicado à área administrativa - 50 vagas Técnicas de vendas - 20 vaga Programação básica para Android - 30 vagas Auxiliar de logística - 30 vagas Ajudante de atividades de laboratório químico - 20 vagas Espirito Santo do Pinhal - 20 vagas Montagem e manutenção de computadores - 20 vagas Hortolândia - 160 vagas Gestão de pequenos negócios - 40 vagas Criação de sites e plataformas digitais - 40 vagas Programação básica para Android - 40 vagas Práticas de gestão de pessoas - 40 vagas Indaiatuba - 50 vagas Gestão de pequenos negócios - 25 vagas Desenvolvimento de jogos digitais - 25 vagas Itapira - 180 vagas Gestão de pequenos negócios - 30 vagas Programação básica para Android - 30 vagas Práticas de gestão de pessoas - 30 vagas Montagem e manutenção de computadores - 30 vagas Auxiliar de logística - 30 vagas Computação na nuvem - 30 vagas Mogi Guaçu - 260 vagas Desenvolvimento de Jogos digitais - 90 vagas Excel aplicado à área administrativa - 50 vagas Técnicas de vendas - 40 vagas Práticas de gestão de pessoas - 40 vagas Montagem e manutenção de computadores - 40 vagas Mogi Mirim - 30 vagas Criação de sites e plataformas digitais - 30 vagas Sumaré - 120 vagas Criação de sites e plataformas digitais - 40 vagas Excel aplicado à área administrativa - 40 vagas Auxiliar de logística - 40 vagas Valinhos - 20 vagas Criação de sites e plataformas digitais - 20 vagas Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Veja Mais

17/06 - Maia diz que fala de Paulo Guedes sobre deputados poderem abortar reforma da Previdência 'uniu o parlamento'
Presidente da Câmara afirmou que 'às vezes tem crises ou críticas que vêm para bem'. Rodrigo Maia diz que fala de Guedes uniu o parlamento O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a crítica do ministro Paulo Guedes ao Congresso Nacional, afirmando que deputados poderiam "abortar a nova Previdência", "uniu o Parlamento" e aproximou deputados e senadores de governadores e prefeitos. "A fala dele [Paulo Guedes] ajudou, uniu o Parlamento, nos deu chance de estarmos mais próximos de governadores e prefeitos", disse Maia após participar do Fórum BandNews em São Paulo nesta segunda-feira (17). "Às vezes tem crises ou críticas que vêm para bem, essa é uma delas. Acho que fortaleceu nossa certeza de que a Câmara e o Senado podem ter papel de protagonista nesse momento que nunca tiveram ao longo dos últimos 20 anos." Na sexta-feira (14), o ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou as mudanças propostas pelo relator do projeto de reforma da Previdência na Câmara dos Deputados e atribuiu as modificações à "pressões corporativas" e ao "lobby de servidores do Legislativo". "Eu acho que houve um recuo que pode abortar a nova Previdência. O recuo é que pelo menos pressões corporativas e de servidores do Legislativo forçaram o relator a abrir de R$ 30 bi para os servidores do Legislativo que já são favorecidos no sistema normal, então recuaram na regra de transição. E como isso ia ficar feio, recuar só nos servidores, estenderam também para o regime geral", disse o ministro. Votação Maia disse ainda que espera que a reforma da Previdência possa ser votada até o próximo dia 26. "Votando no dia 26, no dia 27 eu instalo a reforma tributária, que é a segunda reforma que a Câmara vai fazer", afirmou. Initial plugin text
Veja Mais

17/06 - Copersucar registra lucro maior na safra 2018/19; vendas de açúcar recuam
Preço favorável para a venda de etanol estimulou o resultado financeiro positivo da maior comerciante global do produto. Participação do etanol no mix de produção da Copersucar chegou a 67,7%, contra 57,6% em 2017/18 Reprodução/EPTV A brasileira Copersucar, maior comerciante global de açúcar e etanol, apresentou um lucro líquido de R$ 178 milhões na safra 2018/19, o que representa expansão de mais de 20% na comparação com a temporada anterior. A Alvean, sociedade da cooperativa com a Cargill, disse em comunicado nesta segunda-feira (17) que teve um leve aumento na receita na comparação com a safra passada, para R$ 28,7 bilhões, apresentando uma forte redução nas vendas do adoçante em favor de mais negociações do biocombustível. A participação do etanol no mix de produção da Copersucar chegou a 67,7%, contra 57,6% em 2017/18. A empresa movimentou 3,8 milhões de toneladas de açúcar na temporada encerrada em março, contra 4,5 milhões de toneladas no ano-safra anterior, com suas usinas associadas reduzindo a alocação de cana para produção de açúcar e ampliando a fabricação de etanol, que tem dado retornos financeiros maiores. A empresa vendeu 4,8 bilhões de litros do biocombustível em 2018/19, ante 4,3 bilhões de litros na temporada anterior. As exportações somaram 700 milhões de litros, volume próximo ao visto no ano passado.
Veja Mais

17/06 - Lojas Americanas inscreve para programa de trainee
Podem se inscrever candidatos de todo o país e de qualquer curso, com graduação completa entre julho de 2017 e julho deste ano. Lojas Americanas Divulgação/Shopping Jardim Norte A Lojas Americanas está com inscrições abertas para a nova edição do Programa Trainee Lojas Americanas 2019. A companhia busca recém-formados de alta performance para atuar em áreas estratégicas. Podem se inscrever candidatos de todo o país e de qualquer curso, com graduação completa entre julho de 2017 e julho deste ano. As inscrições para o Programa Trainee Lojas Americanas 2019 devem ser feitas pelo site talentos.lasa.com.br até dia 30 de junho. Os candidatos serão admitidos ainda em 2019, para atuar na sede da companhia, no Rio de Janeiro. Na última edição, o programa contou com mais de 14 mil inscritos. "Buscamos profissionais empreendedores, que tenham vontade de superar limites diariamente e assumir alto nível de responsabilidade", declara Milena de Andrade, ex-trainee e atual diretora de Gente & Gestão da Lojas Americanas. Os candidatos passarão por etapas online, como provas de raciocínio lógico, teste de perfil e vídeo entrevista, além de painel com gestores e executivos da companhia. Ao longo do processo seletivo, a companhia irá identificar, dentre outros atributos, perfis que tenham afinidade com a cultura organizacional e sejam capazes de lidar com questões inesperadas. O Programa Trainee Lojas Americanas, que tem duração de 12 meses, é focado nos principais pilares do negócio. Nos seis primeiros meses, os selecionados mergulham num intenso job rotation em diversas áreas da companhia, com a finalidade de conhecerem todo o ecossistema da companhia. Nos últimos seis meses do programa, os trainees são alocados em uma unidade de negócio e realizam diversos treinamentos, incluindo a formação Green Belt, que visa a sua capacitação para o desenvolvimento de um projeto de relevância para a Lojas Americanas. Os profissionais terão benefícios como assistência médica e odontológica, seguro de vida, descontos em academias, cursos, universidades e em compras nas mais de 1.500 unidades da Lojas Americanas em todo o Brasil e nos sites Americanas.com, Submarino e Shoptime. A companhia também oferece treinamentos para capacitação e a possibilidade de subsídios para a pós-graduação, mestrado e doutorado.
Veja Mais

17/06 - CPAT Campinas oferece 70 vagas de emprego com salários de até R$ 2,4 mil; veja lista
Interessados devem comparecer a uma das unidades do CPAT para análise de perfil e cadastro, levando RG, CPF, Carteira de Trabalho e o número do PIS. CPAT tem 70 vagas de emprego nesta segunda-feira (17). Murillo Gomes/G1 O Centro Público de Apoio ao Trabalhador (CPAT) de Campinas (SP) oferece 70 vagas de emprego para moradores da região nesta segunda-feira (17). Os salários vão até R$ 2,4 mil, sendo a maior remuneração destinada ao cargo de farmacêutico (a) trainee com CRF ativo. As oportunidades são para todos os gêneros e e contemplam diversos níveis de escolaridade. Todas as vagas exigem experiência de seis meses, comprovada na Carteira de Trabalho - a exceção é para a vaga de auxiliar administrativo (a), farmacêutico (a) trainee, fiscal de loja e operador (a) de telemarketing ativo. Para se candidatar, é necessário comparecer a uma das unidades do CPAT para análise de perfil e cadastro, levando RG, CPF, Carteira de Trabalho e o número do PIS. O órgão esclarece que as vagas estão sujeitas a alterações ao longo do dia. Para mais informações, acesse o site do órgão. Confira a lista de vagas Ajudante de farmácia com técnico ou cursando superior em farmácia - 2 vagas Auxiliar administrativo (a) (PCD) - 3 vagas Auxiliar de manutenção elétrica - com NR10 - 1 vaga Auxiliar de Sushiman - 1 vaga Auxiliar operacional de logística - 20 vagas Costureira (o) de máquina reta - 1 vaga Costureira (o) de peças sob medida - trajes finos - 2 vagas Cozinheiro (a) de restaurante - 1 vaga Encarregado (a) eletricista - com NR10 - 1 vaga Farmacêutico (a) trainee com CRF ativo - 1 vaga Fiscal de loja - 1 vaga Mecânico (a) de automóvel - 1 vaga Mecânico (a) de refrigeração - com NR10 - 8 vagas Operador (a) de roçadeira - 4 vagas Operador (a) de telemarketing ativo - 20 vagas Operador (a) de vendas - 1 vaga Sushiman - 1 vaga Vendedor (a) interno - 1 vaga Endereço CPAT Unidade Centro Avenida Campos Sales, 427, Centro. De segunda a sexta-feira - Das 7h30 às 17h30. O atendimento na última sexta-feira do mês é encerrado às 12h. Unidade Ouro Verde Avenida Ruy Rodriguez, 3.900, Parque Universitário (Shopping Spazio Ouro Verde, 1º andar). De segunda a sexta-feira - Das 8h às 16h. O atendimento na última sexta-feira do mês é encerrado às 11h. Unidade Campo Grande Rua Manoel Machado Pereira, 902 (em frente à Praça da Concórdia). De segunda a sexta-feira - Das 8h às 16h. O atendimento na última sexta-feira do mês é encerrado às 11h. Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

17/06 - Após demissão de Levy, Bolsonaro e Guedes têm reunião não prevista na agenda oficial
Reunião entre o presidente da República e o ministro da Economia estava prevista para as 15h desta segunda-feira (17), mas ambos já se encontraram de manhã. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, se reuniram na manhã desta segunda-feira (17) no Palácio do Planalto. O encontro não estava previsto na agenda de ambos. A previsão oficial era de eles se encontrarem somente às 15h. Não houve declarações à imprensa após do encontro. A reunião aconteceu após um fim de semana agitado, quando foi confirmada a demissão de Joaquim Levy da presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A instituição financeira é formalmente subordinada ao Ministério da Economia. Entenda o que levou ao pedido de demissão do presidente do BNDES Veja a repercussão do pedido de demissão de Joaquim Levy Levy pediu demissão na manhã neste domingo (16), um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dito em entrevista coletiva que ele estaria com a "cabeça a prêmio". Bolsonaro cobrava de Levy a demissão de Marcos Pinto, que renunciou no sábado após a fala do presidente. G1 em 1 Minuto: Maia diz que ficou 'perplexo' com tratamento dado por Guedes a Levy Na tarde deste sábado (15), antes de embarcar para viagem ao Rio Grande do Sul (RS), o presidente Jair Bolsonaro afirmou a jornalistas que Joaquim Levy está com a "cabeça a prêmio". Bolsonaro deu a declaração no momento em que deixava o Palácio da Alvorada, em Brasília. Na entrevista, Bolsonaro, sem ser questionado, disse que mandou Joaquim Levy demitir o diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto. O presidente afirmou, ainda, que se Barbosa não fosse demitido, ele, Bolsonaro, demitiria Levy. "Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele: 'Demita esse cara na segunda-feira ou demito você sem passar pelo Paulo Guedes'", disse o presidente. Marcos Pinto, a quem Bolsonaro se referiu, foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Ainda na noite deste sábado, Marcos Pinto enviou carta de renúncia a Joaquim Levy. Na carta, Marcos Pinto afirmou que decidiu deixar o cargo em razão do "descontentamento manifestado" pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo o ministro da Economia, o fato de Levy ter optado por "nomes ligados ao PT" para cargos no banco desagradou Jair Bolsonaro. Joaquim Levy assumiu a presidência do banco em janeiro deste ano. Levy comandou o Ministério da Fazenda no segundo mandato de Dilma Rousseff e deixou o cargo após 11 meses. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na manhã desta segunda-feira (17) que a saída de Joaquim Levy da presidência do BNDES e do advogado Marcos Barbosa Pinto da diretoria de Mercado de Capitais do banco é "uma covardia sem precedentes". Levy pede demissão da presidência do BNDES; Guedes ainda não anunciou substituto
Veja Mais

17/06 - Veja as 466 vagas de emprego no Sine João Pessoa nesta semana de 17 a 21 de junho
Vagas são para todos os níveis de escolaridade. Cargo com maior número de oportunidades é o de oficial de rede. Rede Amazônica/Reprodução O Sistema Nacional de Emprego (Sine) de João Pessoa oferece 466 vagas de emprego entre os dias 17 e 21 de junho. Conforme a lista divulgada nesta segunda-feira (17), há oportunidades de trabalho em todos os níveis de escolaridade. Veja as vagas de emprego do Sine João Pessoa O cargo com maior número de vagas é o de oficial de rede, com 100 oportunidades para pessoas com ensino médio completo. O cargo não exige experiência. A lista divulgada pelo Sine-JP ainda tem vagas para auxiliar técnico de fibra óptica (90 vagas), líder de obras (80 vagas) e técnico de fibra óptica (80 vagas), entre outras. O Sine-JP funciona na Avenida Cardoso Vieira, 85, Varadouro, e atende das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. O trabalhador deve apresentar RG, CPF e Carteira de Trabalho. Para concorrer às oportunidades em que o empregador exige apenas o currículo, o interessado deve enviá-lo para o endereço sinejp.imo@joaopessoa.pb.gov.br As empresas que se interessem em anunciar vagas de empregos devem enviar seus dados e as exigências das funções para o e-mail sinejp.imo@joaopessoa.pb.gov.br. Os telefones para contato do setor de captação de vagas são: 3214-1712; 3214-3214 ou 3214-1809. O serviço é gratuito.
Veja Mais

17/06 - Brasil acionará OMC para mais uma vez contestar barreira da Indonésia a carne de frango
País ganhou disputa sobre o assunto no organismo internacional em 2017. Indonésia estaria atrasando liberação da compra de carne de frango brasileira sem justificativas. Brasil é maior exportador mundial de carne de frango Reprodução/TV Globo O Brasil vai novamente acionar a Indonésia na Organização Mundial do Comércio (OMC) para contestar barreiras à importação de carne de frango do país, disse o Ministério da Agricultura em comunicado na noite de sexta-feira (14). A pasta acrescentou que circulou na véspera, em Genebra, na Suíça, um pedido de painel contra a Indonésia, que deverá ser examinado no Órgão de Solução de Controvérsias (DSB) em reunião prevista para 24 de julho. "A divergência com a Indonésia tem cinco anos. Em 2017, o Brasil ganhou uma disputa contra aquele país na OMC, e os juízes deram prazo até junho do ano passado para os indonésios eliminarem as barreiras contra o frango brasileiro. Até hoje, porém, o país asiático não autorizou as exportações brasileiras", explicou o ministério em nota. O Brasil quer que a OMC avalie se a Indonésia estaria atrasando sem justificativa o reconhecimento sanitário de exportadores brasileiros, o que não seria autorizado pelas regras do organismo internacional de comércio. A ministra brasileira da Agricultura, Tereza Cristina, visitou a Indonésia no mês passado, quando pediu respostas do governo local sobre uma missão técnica que visitou frigoríficos no Brasil em abril de 2018. O Brasil é o maior exportador mundial de carne de frango. No acumulado do ano até maio, as vendas ao exterior alcançaram volume de 1,65 milhão de toneladas, aumento de 3,6% em relação a igual período do ano passado. A receita somou US$ 2,766 bilhões nos cinco primeiros meses do ano, aumento de 6,3% na comparação anual.
Veja Mais

17/06 - Revólver que teria sido usado no suicídio de Van Gogh vai a leilão na França
Arma Lefaucheux, de calibre de 7 mm, está avaliada entre 40.000 e 60.000 euros (US$ 45 mil e US$ 67 mil). Arma que teria sido usada por Van Gogh vai a leilão Reprodução/AuctionArt rémy le fur & associés O revólver, com o qual Vincent van Gogh teria se suicidado, conhecido como "a arma mais famosa da história da arte", será leiloado nesta quarta-feira (19) em Paris. A arma Lefaucheux, de calibre de 7 mm, está avaliada entre 40.000 e 60.000 euros (US$ 45 mil e US$ 67 mil). Será leiloada pela casa AuctionArt-Rémy Le Fur no Hôtel Drouot. Van Gogh teria atirado no peito, aos 37 anos, e morreu dois dias depois ao norte de Paris. Em 27 de julho de 1890, o mestre holandês teria caminhado até um campo próximo da hospedaria onde estava instalado em Auvers-sur-Oise. Ele teria, então, levantado a camisa e atirado no peito com uma arma do proprietário do estabelecimento. O revólver teria caído das mãos de Van Gogh, que, ferido, teria voltado para a pensão, onde faleceu dois dias depois. O revólver, cuja autenticidade é provável que nunca seja formalmente confirmada, foi descoberto em 1965 por um agricultor nesse mesmo campo. Depois de sua descoberta, o camponês entregou a arma - muito danificada - a Arthur Ravoux, proprietário dessa hospedaria. Desde então, o objeto teria permanecido na família, conta a casa de leilões AuctionArt. Foi apresentado publicamente pela primeira vez em 2012 com a aparição do livro "Aurait-on retrouvé l'arme du suicide?" ("Teria-se encontrado a arma do suicídio?"), o qual narra a história do revólver. 'Retrato do Dr. Paul Gachet', feito por Vincent van Gogh em 1890, foi vendido por $82,500,000 em leilão de Nova York Manoocher Deghati/AFP Indícios verossímeis Vários indícios tornam verossímil a hipótese de que o artista teria se suicidado com essa arma. Além de ter sido encontrada no mesmo lugar onde o pintor teria atirado em si mesmo, o calibre corresponde ao descrito pelo doutor Paul Gachet, que cuidou dele durante sua agonia. A natureza do ferimento também é compatível com a baixa potência da arma. Finalmente, estudos científicos apontam que o revólver permaneceu enterrado por entre 50 e 80 anos, tempo transcorrido até sua descoberta. Em 2016, o museu que leva seu nome em Amsterdã apresentou a arma, na exposição "Nos confins da loucura, a doença de Vincent Van Gogh". O artista teria se instalado em Auvers-sur-Oise dois meses antes de seu suicídio, aconselhado pelo irmão, Théo, após passar um ano em uma instituição para doentes mentais. Em 1888, Van Gogh teria cortado a própria orelha em uma briga com seu amigo e pintor Paul Gauguin e a teria oferecido a uma prostituta. Em sua fase em Auvers-sur-Oise, Van Gogh estava no auge da carreira, pintando mais de uma obra por dia. Ao mesmo tempo, era vítima de grandes crises psicológicas que se acentuaram pouco antes de sua morte. Outra teoria sobre a origem da arma, muito polêmica, foi apresentada em 2011 por dois investigadores americanos. Segundo eles, Van Gogh não se suicidou. Ele teria sido, na verdade, vítima de um disparo acidental por parte de dois irmãos adolescentes que brincavam com uma arma.
Veja Mais

17/06 - Justiça autoriza retomada de leilão da Avianca Brasil
Leilão estava suspenso desde o dia 7 de maio, atendendo a um pedido feito pela Swissport Brasil, que questionou a legitimidade da venda de direitos de pousos e decolagens ("slots"). Avião da companhia aérea Avianca decola no Aeroporto Internacional São Paulo - Cumbica (GRU), em Guarulhos Celso Tavares/G1 O Colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo decidiu nesta segunda-feira (17), por dois votos a um, pela retomada do leilão de ativos da Avianca Brasil. O leilão estava suspenso desde o dia 5 de maio, atendendo a um pedido feito pela Swissport Brasil, que atua com serviços de logística em aeroportos. A empresa questionou a legitimidade da venda de direitos de pousos e decolagens ("slots") juntamente com os ativos da companhia. Os desembargadores Sérgio Shimura e Mauricio Pessoa, entenderam que o prosseguimento do leilão em cumprimento ao plano é possível e necessário, inexistindo indícios suficientes à suspensão. O desembargador Ricardo Negrão, relator do caso que havia preferido liminar pela suspensão, ficou voto vencido no julgamento desta segunda-feira. Os desembargadores também irão analisar outros recursos que questionam a legalidade do plano de recuperação judicial da Avianca Brasil aprovado em Assembleia Geral de Credores e homologado pela 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, segundo informou a assessoria de imprensa do tribunal. Desta forma, a realização do leilão ainda não está totalmente garantida. Caso a recuperação judicial receba o respaldo do tribunal, a Avianca Brasil poderá manter o plano de colocar em leilão sete unidades produtivas isoladas (UPIs), com slots (autorizações de pouso e decolagem) nos principais aeroportos brasileiros. Estão credenciadas para participar do leilão três empresas do setor: Azul, Gol e Latam. Entenda a crise A Avianca Brasil entrou com pedido de recuperação judicial em dezembro de 2018. Os credores da companhia aérea aprovaram o plano em abril. No final de maio, A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu suspender todas as operações da Avianca Brasil até que a companhia comprove capacidade para manter as atividades em segurança. A Avianca Brasil, marca comercial da Oceanair Linhas Aéreas S.A. ("Oceanair"), não faz parte do grupo de companhias da Avianca Holdings S.A, com sede na Colômbia. Mas ambas integram uma holding controlada pelo mesmo investidor, o empresário brasileiro German Efromovich. Em dezembro, a Avianca, que é a quarta maior companhia aérea do Brasil, acumulava dívida de R$ 493,8 milhões. A empresa aponta que sua crise econômico-financeira é reflexo da forte recessão econômica enfrentada pelo país desde de 2014, aliada ao aumento do combustível e à variação do câmbio. O que vai a leilão da Avianca Rodrigo Sanches/Arte G1
Veja Mais

17/06 - Maia diz que saída de Levy e de diretor do BNDES é 'covardia sem precedentes'
Para presidente da Câmara, ministro da Economia é quem que tinha de 'segurar firme'. Presidente e diretor do banco deixaram os respectivos cargos após crítica de Bolsonaro. Rodrigo Maia critica forma como Joaquim Levy foi demitido do BNDES O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na manhã desta segunda-feira (17) que a saída de Joaquim Levy da presidência do BNDES e do advogado Marcos Barbosa Pinto da diretoria de Mercado de Capitais do banco é "uma covardia sem precedentes". Levy pediu demissão neste domingo (16), um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dito em entrevista coletiva que ele estava com a "cabeça a prêmio". Bolsonaro cobrava de Levy a demissão de Marcos Pinto, que renunciou no sábado após a fala do presidente. "Uma pena o Brasil ter perdido dois nomes como os do advogado e do Levy. Acho uma covardia sem precedentes", disse Maia. "Levy veio de Washington [onde ocupava cargo de diretor do Banco Mundial] para trabalhar no governo. Está errado [sair assim], não pode tratar as pessoas deste jeito. Se é para demitir, chama e demite. Ninguém é obrigado a ficar com um servidor de confiança se deixou de ser de confiança. Agora, tratar da qualidade dos dois desta forma, eu achei muito ruim", disse Maia. Em evento promovido pela BandNews, Maia afirmou que, com a saída de Levy da presidência do BNDES, cabe ao ministro da Economia, Paulo Guedes, controlar a situação. "Quem tem que segurar firme é quem nomeou, e foi o ministro", disse Maia. Maia diz que fala de Paulo Guedes sobre deputados poderem abortar reforma da Previdência 'uniu o parlamento' "Acho que o Guedes errou, mas já está passado, já está decidido. Eu queria que o Marcos Pinto pudesse ser aproveitado em uma área de um debate importante sobre economia com viés social. Ele é um dos melhores do Brasil que entende desta área, é uma pena que foi feito desta forma", completou o presidente da Câmara. Rodrigo Maia critica a forma como aconteceu a saída de Levy e de Marcos Pinto do BNDES Ao blog da colunista Andreia Sadi, Maia afirmou ter ficado "perplexo" com o tratamento dado por Paulo Guedes a Joaquim Levy. Segundo integrantes da equipe econômica, o substituto de Levy será indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve ser da iniciativa privada. Bolsonaro, segundo Paulo Guedes, tinha "angústia" por Levy ter escolhido para o banco "nomes ligados ao PT". Marcos Pinto é respeitado entre economistas e técnicos. Segundo o jornal "Valor Econômico", ele é mestre em direito pela Universidade de Yale (EUA) e doutor pela Universidade de São Paulo (USP). Também em São Paulo, em outro evento, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, defendeu a decisão da demissão de Levy como um direito do presidente, Jair Bolsonaro. “Isso é um direito que o presidente tem, o presidente é quem nomeia. Houve ali uma incompatibilidade ali de gênios, né? Não houve sintonia entre o que desejava o presidente e como trabalhava o de Levy. É uma pessoa que a gente respeitar, tomou uma decisão que a gente respeita e vida que segue”, disse Onyx. Rodrigo Maia participa do Fórum BandNews em São Paulo Tahiane Stochero/G1 Votação da reforma da Previdência Maia falou ainda que a reforma da Previdência deverá ser votada na comissão especial da Casa no próximo dia 26. E acrescentou que a crise com Paulo Guedes na sexta-feira, quando o ministro criticou a Câmara por tirar a capitalização da proposta, foi boa porque uniu a Casa, e a proposta deixou de ser a proposta do governo para ser a proposta do Congresso. “Ninguém tem a proposta perfeita.”
Veja Mais

17/06 - Pfizer compra Array Biopharma, avaliada em US$ 11,4 bilhões
Array BioPharma é empresa de biotecnologia especializada em medicamentos contra o câncer. O laboratório farmacêutico americano Pfizer anunciou nesta segunda-feira (17) a aquisição da Array BioPharma, uma empresa de biotecnologia especializada em medicamentos contra o câncer, a última operação de uma longa lista de fusões recentemente concluídas neste setor. Pfizer informou em um comunicado que ofereceu US$ 48 por cada ação da Array, de modo que o valor da empresa seria de US$ 11,4 bilhões. "Os conselhos de ambas as empresas aprovaram a fusão", comunicou a Pfizer. A aquisição "prepara o terreno para a potencial criação de uma líder da indústria para o câncer colorretal com a experiência já existente da Pfizer nos tratamentos dos cânceres de mama e próstata", declarou o diretor-executivo da Pfizer, Albert Bourla. A carteira da Array inclui dois medicamento que, combinados, são eficazes para o tratamento de um processo que está por trás de 15% dos casos de câncer colorretal, indicou a Pfizer. A Comissão Europeia autorizou o uso deste tratamento em setembro, meses após a administração americana fazer o mesmo. A operação mostra como as empresas farmacêuticas estão mirando a biotecnologia para crescer, muitas vezes pagando quantias astronômicas. Em janeiro, a Bristol-Myers-Squibb adquiriu a Celgen por 74 bilhões de dólares.
Veja Mais

17/06 - Magnata francês Patrick Drahi compra a casa de leilões Sotheby's
Negócio está avaliado em US$ 3,7 bilhões. Casa de leilões Sotheby's Reprodução/Facebook/Sotheby's O magnata francês das telecomunicações Patrick Drahi comprou a casa britânica de leilões Sotheby's por US$ 3,7 bilhões. O acordo foi assinado entre a Sotheby's e a BidFair USA, uma grupo do qual Drahi, proprietário da Virgin Mobile e de várias empresas de comunicação francesas, é dono. A transação, que deverá ser concluída no quarto trimestre deste ano, vai retirar a Sotheby's da Bolsa de Valores, após 31 anos com capital aberto. O empresário, que se define como um "apaixonado" pelo setor, ofereceu US$ 57 por ação, ou seja, 61% a mais do que o preço da ação da Sotheby's no fechamento da Bolsa de Nova York em 14 de junho. "Estou fazendo este investimento para a minha família, através da minha holding pessoal, com uma perspectiva de longo prazo", disse Patrick Drahi em uma declaração. Ele garantiu, porém, que a indústria das telecomunicações e os meios de comunicação "continuarão sendo sua propriedade". Esta transação, que será concluída no quarto trimestre deste ano, vai retirar a Sotheby's da Bolsa de Valores.
Veja Mais

17/06 - Venda de fábrica de fertilizantes da Petrobras em MS para empresa russa deve ser fechada até setembro, diz senadora
Senadora sul-mato-grossense Simone Tebet (MDB), foi entrevistada no "Papo das Seis", do Bom Dia MS, desta segunda-feira (17). Fábrica de fertilizantes nitrogenados (UFN 3), em Três Lagoas, que a Petrobras está vendendo para empresa russa Acron, segundo senadora sul-mato-grossense Reprodução/TV Morena Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de autorizar que as empresas estatais do governo federal possam vender suas subsidiárias sem a necessidade da aprovação do Congresso Nacional, a Petrobras deve concluir até setembro deste ano a venda de sua fábrica de fertilizantes nitrogenados em Três Lagoas, no leste de Mato Grosso do Sul (UFN 3), para o grupo russo Acron. A informação foi revelada na manhã desta segunda-feira (17) pela senadora sul-mato-grossense Simone Tebet (MDB), em entrevista ao "Papo das Seis", do Bom Dia MS. As obras da fábrica começaram em 2011 e foram paralisadas em dezembro de 2014, quando a Petrobras rompeu o contrato com o consórcio que havia vencido a licitação para a construção, alegando descumprimento do contrato. Na época, a estatal já havia investido cerca de R$ 3,2 bilhões no empreendimento que está com aproximadamente 81% das obras concluídas. Em 11 de fevereiro de 2017, a estatal anunciou que estava colocando à venda a UFN 3 e também da Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa), que opera em Araucária (PR), como parte da estratégia de desinvestimento da companhia e de saída da produção de fertilizantes no país. Mais de um ano depois, em 9 de maio de 2018, a Petrobras, em comunicado de mercado, informou o início das negociações com exclusividade com o grupo russo pelo prazo 90 dias. Na época, a estatal apontou que a empresa russa tem foco na produção e comercialização de fertilizantes, com vendas em mais de 60 países e que em 2017 tinha registrado um volume de vendas de mais de 7,3 milhões de toneladas, com receitas consolidadas de US$ 1,6 bilhão e Ebitda de US$ 511 milhões. A venda da fábrica, então bem encaminhada, ficou em suspenso, entretanto, em junho de 2018, quando o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, proibiu, por meio de uma liminar, o governo de privatizar empresas estatais sem prévia autorização do Congresso. Ao julgar o mérito da ação sobre o assunto, o plenário do STF decidiu no dia 6 de junho deste ano, manter a proibição para as estatais, mas autorizou as vendas das subsidiárias, as subdivisões dessas "empresas-mães", sem o aval do Legislativo. Segundo a senadora sul-mato-grossense, com essa decisão do Supremo, a expectativa é que a Petrobras conclua nos próximos três meses a venda da fábrica em Mato Grosso do Sul para o grupo russo. A Acron deve desembolsar no negócio cerca de R$ 8,2 bilhões, sendo R$ 3,2 bilhões destinados à estatal brasileira e o restante, R$ 5 bilhões, para investimento na planta. Senadora Simone Tebet (MDB) foi entrevistada nesta segunda-feira (17), no Papo das Seis, do Bom Dia MS Átilla Eugênio/TV Morena "É uma das maiores empresas de fertilizantes nitrogenados do mundo [a Acron]. Essa fábrica está vai gerar milhares de empregos e vai reduzir em mais de 50% a nossa dependência da compra de fertilizantes no exterior. Para quem não sabe, fertilizantes nitrogenados são essenciais para a nossa agricultura e a nossa pecuária. Com isso, podemos falar a médio prazo, até mesmo de alimentos mais baratos na mesa do nosso trabalhador", explicou Simone. Segundo a senadora, concluída a venda da indústria, a expectativa é que os trabalhos para a retomada das obras possam ser iniciados no fim de 2019, com a perspectiva de demorarem um ano e meio para serem concluídos. No dia 14 de junho, comunicou ao mercado a retomada do processo para a venda da UFN 3 e também da Ansa. "Dessa forma, a Petrobras está retomando o processo competitivo para a venda dessas unidades", afirmou a empresa, acrescentando que "a operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria da alocação do capital da companhia". A planta foi projetada para ter a capacidade de produzir 3.600 toneladas/dia de ureia, 2.200 toneladas/dia de amônia e 290 toneladas/dia de gás carbônico. Veja abaixo a entrevista da senadora Simone Tebet: Senadora Simone Tebet (MDB) é a entrevista desta segunda-feira (17) do Papo das 6
Veja Mais

17/06 - Bovespa fecha em queda, de olho em exterior e cena política
Ibovespa terminou o dia em baixa de 0,43%, aos 97.623 pontos. Painel na sede da B3, em São Paulo, Ibovespa, bolsa, Bovespa Nacho Doce/Reuters O principal indicador da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, fechou em queda nesta segunda-feira (17), após oscilar muito ao longo do pregão, refletindo a cautela do mercado com os próximos dias no cenário internacional e com os possíveis desdobramentos na tramitação da reforma da Previdência. O mercado também observou as novas tensões no governo, após o presidente do BNDES, Joaquim Levy, ter pedido demissão do cargo no domingo (16), um dia depois do presidente Jair Bolsonaro ter dito que ele estava com a "cabeça a prêmio". O Ibovespa terminou o dia em baixa de 0,43%, aos 97.623 pontos. Veja mais cotações. Segundo dados preliminares, Petrobras teve alta de 0,3%, enquanto Vale recuou mais de 2%. IRB Brasil liderou as altas entre as ações do Ibovespa, com avanço de cerca de 3%, enquanto Gol subiu mais de 2%, depois que a Justiça decidiu retomar o leilão da Avianca Brasil. Cenário local O substituto de Joaquim Levy no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) será indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve ser da iniciativa privada, informaram integrantes da equipe econômica. Entenda o pedido de demissão Camarotti: Já tinha três meses que Bolsonaro vinha pedindo a cabeça de Levy Os agentes do mercado também monitoraram o noticiário envolvendo o grupo Odebrecht. Segundo publicou o jornal Valor Econômico, o conglomerado estaria prestes a pedir recuperação judicial. Se confirmado, o fato deve ter impacto negativo sobre os grandes bancos brasileiros, os principais credores da empresa. A reforma da Previdência segue no radar de agentes financeiros como o fato mais importante da pauta econômica, mas deve ficar como coadjuvante nesta semana mais curta em razão do feriado de Corpus Christi. Os agentes também estão na espera das decisões sobe taxa básica de juros no Brasil e nos Estados Unidos, que serão anunciadas na quarta-feira. Nos mercados internacionais, as bolsas americanas operavam com ganhos enquanto, na Europa, a maioria das praças estava em alta.
Veja Mais

17/06 - Embraer recebe pedido para até 39 jatos E175 da United Airlines
Acordo está avaliado em US$ 1,9 bilhão. A fabricante de aeronaves Embraer anunciou nesta segunda-feira (17) que assinou contrato com a United Airlines para até 39 jatos E175, em um acordo avaliado em US$ 1,9 bilhão, segundo preços de lista. O acordo, feito durante a 53ª edição da feira aeroviária Paris Air Show International, envolve 20 pedidos firmes e 19 opções com as aeronaves com 70 assentos. O pedido firme será incluído na carteira de pedidos (backlog) da Embraer ainda neste do segundo trimestre e as entregas têm previsão de início no segundo trimestre de 2020. "Incluindo este novo contrato, a Embraer vendeu mais de 585 jatos E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, sendo responsável por mais de 80% de todos os pedidos neste segmento de jatos de 70 a 76 assentos", informou a companhia
Veja Mais

17/06 - Paulo Guedes: um protesto, um lamento e dois aplausos na reforma da Previdência
O ministro da Economia, Paulo Guedes, acredita que "o jogo ainda está sendo jogado" nas mudanças propostas pelo relator da proposta de emenda constitucional (PEC) da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), especialmente no que diz respeito à regra de transição mais flexível que, nos cálculos do ministro, representa perda de R$100 bilhões em relação ao texto original. "Eu respeito a decisão do Congresso, mas tenho a obrigação de alertar sobre o impacto do que está sendo discutido", disse o ministro ao blog. Guedes afirmou que a mudança atendeu a um lobby do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis). Na conta do ministro, a regra de transição mais flexível apenas para os servidores públicos custaria R$ 30 bilhões. Mas, segundo ele, para não ficar marcado que a mudança atendia ao "lobby dos servidores", o relator incluiu também os trabalhadores do Regime Geral da Previdência. "Nenhum trabalhador do regime geral foi a Brasília pedir essa mudança", disse o ministro. Ao incluir os trabalhadores da iniciativa privada, a perda de receita passou de R$ 30 bilhões para R$ 100 bilhões. Nos cálculos do ministro, a economia que a reforma propiciará, com todas as mudanças, cairá de R$ 1,13 trilhão para R$ 860 bilhões. Não fosse a perda de R$ 100 bilhões com a mudança na regra de transição, a economia ficaria em R$ 960 bilhões, valor suficiente, segundo o ele, para lançar a proposta da capitalização, "que poderia gerar milhões de empregos para os jovens". Paulo Guedes disse ao blog que durante a discussão da proposta do governo com os deputados foi convencido por eles da relevância de manter inalterado o critério para a concessão do benefício de prestação continuada (BPC) e as regras para aposentadoria dos trabalhadores rurais. "Os deputados demonstraram sensibilidade social e eu fui convencido por eles da importância de preservar as regras nesses dois casos. Por isso, eu aplaudo a retirada dessas duas mudanças da nossa proposta pelo relator", disse o ministro. Guedes disse ainda lamentar a retirada dos estados e municípios da reforma porque, segundo ele, os entes federativos "estão quebrados e é lá que o povo vive". Mas ele disse que também compreende o argumento dos deputados federais que resistem a incluir estados e municípios na reforma. "Se o deputado do PT, no estado governado pelo PT, faz campanha contra a reforma, mesmo sabendo que ela vai beneficiar o seu estado, o deputado federal do centrão fica numa situação difícil para votar a favor. Esse é um problema político", afirmou Guedes.
Veja Mais

17/06 - Peça de R$ 600, casamenteiro, receita de escravos... conheça os queijos curiosos de MG
Estado tem variedade de produtos diferentes, inspirados nas boas ideias de queijeiros e acontecimentos históricos. Muito além do Queijo Minas. Hoje, Minas Gerais tem uma variedade de produtos, que inclui os queijos artesanais e os das indústrias. Entre tantas opções, o queijeiro tem que trabalhar muito até chegar a um queijo que chame atenção e ganhe o paladar dos consumidores. Nas estradas do Sul de Minas, a equipe do G1 encontrou um Queijo Canastra Real que chega a custar R$ 600 e até queijo que promete casamento. Veja abaixo a seleção de receitas curiosas! Queijo pra casar A receita de um queijo com fama de casamenteiro faz sucesso com quem viaja a Cruzília (MG). O queijo que já foi premiado com a medalha de prata em um concurso na França ganhou o nome por uma história inusitada. Queijo casamenteiro é um dos destaques em Cruzília (MG) Fernanda Rodrigues/G1 “Eu fiz um teste há muitos anos. A moça que estava ajudando a fazer o teste casou e outra pessoa que também estava ajudando casou. Teve uma terceira, quarta, aí o pessoal falou: ‘gente, todo mundo que ajuda a fazer esse queijo casa’”, brinca Luiz Sérgio Medeiros de Almeida, criador da receita. A fama se espalhou rápido e o produto foi batizado como Queijo Santo Casamenteiro, com direito a uma imagem do Santo Antônio na embalagem. Como é feito? A base é do queijo Azul de Minas, que leva um blend de fermentos e o fungo “penicillium roqueforti”. O diferencial vem na montagem. O queijo casamenteiro lembra um bolo – a base do queijo azul ganha camadas de massa com nozes, damasco e creme de queijo. Queijo que "ajuda" a casar tem receita especial em Cruzília (MG) Fernanda Rodrigues/G1 Canastra Real Um dos queijos mais caros e saborosos produzidos na Serra da Canastra é o Canastra Real. O nome já dá a dica. Ele é o queijo que 'reina' entre todos os queijos produzidos na serra. Uma peça chega a custar R$ 600 e seu tempo de maturação varia entre 6 meses e 1 ano. "É um queijo que tem uma massa muito macia, ele é adocicado, ele lembra o gruyére, o emmental", diz o presidente da Associação dos Produtores de Queijo Canastra (Aprocan), João Carlos Leite. "É um queijo que não sofre a ação de fungos, mas sofre a ação de bactérias propiônicas. O jeito de fazer o queijo, o tamanho dele, viabiliza o desenvolvimento das bactérias propiônicas. Essas bactérias consomem o queijo, alterando a sua estrutura bioquímica e produz gases, esses gases dilatam, dando olhaduras", explica Leite. Queijo Canastra Real chega a valer R$ 600 a peça Lucas Soares / G1 Segredo dos escravos A nova receita do queijeiro Anderson Pereira Maciel está ligada à história dos escravos na região de Cruzília e Carrancas. "Houve uma grande revolta de escravos nessa região. Conversando com alguns descendentes, tivemos uma noção da realidade naquela época. E tinha alguns escravos que tinham o contato nas fazendas, que tinham o contato com o leite", explica. Anderson conta que muitos escravos pegavam pequenas quantidades de leite nas fazendas. Levavam para a senzala, onde o leite coalhava naturalmente. Queijo Pataca tem receita baseada nos escravos Fernanda Rodrigues/G1 Depois, em formas improvisadas, prensavam a massa, adicionavam sal. A grande sacada era o uso de folhas de árvores, como parreiras e bananeiras, para envolver os queijos. "Colocava em volta da folha pro dono da fazenda não descobrir que ele tinha aquele alimento extra, porque eles passavam muita fome. Só que como a senzala era um lugar úmido, e um lugar que não tinha luminosidade, aquela massa ganhava um paladar diferente", detalha o queijeiro. Sem a receita em mãos, Anderson levou dois anos até chegar a uma receita inspirada neste costume dos escravos. Queijeiro responsável pelo Pataca, Anderson detalha produção Fernanda Rodrigues/G1 Por que é diferente? Além de uma mistura de fermentos, o processo de maturação também é importante. Mas a receita não é revelada por Anderson. Com sabor picante, uma versão especial do queijo é embalada em folhas, o que lembra a versão original. O resultado é um visual bem diferente. Ao natural Já em Alagoa, algumas queijarias apostam muito mais no processo de maturação do que na fabricação em si. A receita é a tradicional do queijo artesanal do município, feito à base de leite cru com peças entre 1 e 5 kg. Mas a diferenciação acontece depois. Produtor mantém queijos em espécie de porão em Alagoa (MG) Régis Melo/G1 É o que faz o produtor e vice prefeito de Alagoa, Francisco Humberto de Souza Barros, que tem em uma espécie de porão na casa do pai - a sala onde os queijos descansam antes de serem colocados à venda. "É um queijo com maturação natural, em uma casa de tijolo maciço. Eu deixo ter interferência de fungos, de mofos e até de ácaros depois", explica. Com o processo, o queijo ganha uma espécie de casca e um sabor mais forte, mais picante. Para Humberto, a característica agrada mais turistas que vão até a cidade comprar do que os próprios moradores. "Quando a pessoa é daqui, prefere um queijo fresco, porque é acostumado a comer, é a tradição. A gente vive o queijo. E quando a pessoa é de fora, normalmente eles gostam mais do maturado, porque é um queijo de sabor mais intenso, que assemelha ao sabor mais de um parmesão", afirma. Maturação natural é aposta de produtor em Alagoa (MG) Régis Melo/G1 Feitos por fantasma? Tem coragem? A receita do queijo "A Lenda", também da cidade de Cruzília, é cercada de mistério. Os produtores contam que uma antiga fábrica foi comprada para dar espaço ao novo laticínio que levaria o nome da cidade. Em um cofre, encontraram uma receita exclusiva, feita com fermentos especiais. O mistério? "Quando os queijeiros decidiram fazer a receita e deixá-la no laticínio durante a noite, encontraram tudo fora do lugar, os queijos estavam em lugares diferentes", explicou o produtor Luiz Sérgio. Queijo "A Lenda" tem história cheia de mistérios em Cruzília (MG) Fernanda Rodrigues/G1 Para eles, ficou clara a história: os mestres queijeiros que já tinham falecido vieram dar aquela ajuda. Hoje, é conhecido como o queijo "feito a quatro mãos" - dos queijeiros vivos e mortos. Claro que tudo não passa de uma lenda. "A Lenda" é um dos queijos mais diferentes na produção industrial de Cruzília. Tem sabor adocicado, é macio e coberto pela capa preta, que completa o clima de mistério. Initial plugin text Veja mais reportagens especiais na página Minas dos Queijos
Veja Mais

17/06 - Dólar fecha quase estável, à espera de decisão do Fed e monitorando cena política
A moeda norte-americana caiu 0,04%, vendida a R$ 3,8981. dólar Reuters O dólar fechou quase estável nesta segunda-feira (17), à espera da reunião do Federal Reserve (Banco Central dos EUA) nesta semana e monitorando novas tensões no governo, após o presidente do BNDES, Joaquim Levy, ter pedido demissão do cargo no domingo (16), um dia depois do presidente Jair Bolsonaro ter dito que ele estava com a "cabeça a prêmio". A moeda norte-americana caiu 0,04%, vendida a R$ 3,8981. Veja mais cotações. Cenário local e externo A reforma da Previdência segue no radar de agentes financeiros como o fato mais importante da pauta econômica, mas deve ficar como coadjuvante nesta semana mais curta em razão do feriado de Corpus Christi, destaca a Reuters. Desde sexta-feira, investidores também estão no aguardo da decisão de política monetária do Fed na quarta-feira (18), sob expectativa de que o banco central norte-americano dê alguma sinalização sobre a proximidade de um corte de juros. O mercado monitora pistas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos porque, com taxas mais altas, o país se tornaria mais atraente para investidores. Isso motivaria uma tendência de alta do dólar em relação a moedas como o real. Mas se, ao contrário, o Fed decidir não aumentar os juros agora, recursos aplicados em outros mercados, como o brasileiro, tendem a não migrar para aos Estados Unidos, o que afastaria essa pressão de alta do dólar em relação a outras moedas. Também na quarta-feira, o Banco Central anuncia sua decisão de política monetária, com expectativa de que o Copom também ofereça sinalização sobre eventual corte de juros. Na sexta-feira, o mercado embutia 22% de probabilidade de corte de 0,25 ponto percentual da Selic na próxima quarta-feira. No fim de maio, essa chance estava na casa de 8%, segundo a Reuters. Nesta segunda-feira, pesquisa Focus do BC mostrou que os economistas veem três cortes seguidos de 0,25 ponto percentual na Selic, terminando o ano a 5,75%. Mudança no BNDES O substituto de Joaquim Levy no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) será indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve ser da iniciativa privada, informaram integrantes da equipe econômica. Entenda o pedido de demissão Ministro Paulo Guedes já estuda nomes para substituir Levy no BNDES Bolsonaro disse na tarde deste sábado (15) que, se Levy não demitisse o diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto, ele, Bolsonaro, demitiria Levy. Poucas horas depois, Marcos Pinto renunciou ao cargo. Embora a nomeação de Marcos Pinto tenha sido a "gota d´água' para Bolsonaro, integrantes da equipe econômica afirmam que o presidente estava insatisfeito com Joaquim Levy havia três meses. Isso porque, na avaliação desses integrantes, Levy não havia cumprido a promessa de campanha de Bolsonaro de "abrir a caixa-preta" do BNDES em relação a empréstimos para Venezuela e Cuba nem havia buscado investimento no exterior.
Veja Mais

17/06 - PAT de Americana oferece 44 vagas de emprego; confira oportunidades
Interessados podem se candidatar às vagas no site da Prefeitura. PAT de Americana disponibiliza 44 vagas de emprego nesta segunda-feira (17) Beatriz Braga/G1 Petrolina O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Americana (SP) está com 44 vagas de emprego abertas. Entre os destaques, estão oportunidades para montador (a) de andaime e operador (a) de injetora. Confira a lista completa abaixo. Os interessados devem se candidatar pelo site da Prefeitura, com o cadastramento do currículo. O PAT fica localizado na Rua Anhanguera, 16, no Centro, e o horário de atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Confira as oportunidades Assistente administrativo (a)/financeiro (a) - 1 vaga Assistente comercial (superior em administração) - 1 vaga Atendente de loja (setor de frios) - 1 vaga Auxiliar de cozinha - 2 vagas Auxiliar de manutenção predial - 1 vaga Auxiliar de produção - (curso Senai em mecânica de manutenção e pacote office) - 1 vaga Auxiliar de vendas internas - 1 vaga Auxiliar eletricista (curso na área e CNH "B", com disponibilidade para viagens) - 2 vagas Caseiro (a) - 1 vaga Chapeiro (a) - 1 vaga Consultor (a) de vendas (empréstimos) - 1 vaga Eletricista de manutenção industrial (curso técnico na área e disponibilidade para viagens) - 1 vaga Eletricista montador (a) (curso na área e CNH "B", com disponibilidade para viagens) - 2 vagas Engrupador (a) (experiência com tear Leonardo) - 1 vaga Garçom/garçonete - 1 vaga Inspetor (a) de qualidade (ramo automotivo) - 1 vaga Mecânico (a) de motocicleta - 1 vaga Mecânico (a) de refrigeração (curso técnico na área) - 1 vaga Mecânico (a) de suspensão e freio - 2 vagas Meio (a) oficial (mecânico diesel) - 1 vaga Montador (a) de andaime (possuir NR33 e NR35) - 4 vagas Operador (a) de hidrojato - 1 vaga Operador (a) de injetora - 5 vagas Operador (a) de manufatura/Forneiro (residir em SBO ou divisa) - 1 vaga Pizzaiolo (a) (morar nas proximidades do bairro São José) - 1 vaga Repositor (a) de mercadorias em hortifrúti - 1 vaga Serralheiro (a) - 1 vaga Tecelão (ã) (tear Sulzer L5500 e Picanol GTM) - 2 vagas Técnico (a) eletrônico (a) (Soft Starter, CLP, IHM, Servodrive) - 1 vaga Técnico (a) em compressores (conhecimento em elétrica) - 1 vaga Trefilador (a) (Trefila úmida) - 1 vaga Vendedor (a) interno (colchões) - 1 vaga Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

17/06 - Huawei anuncia queda nas vendas e redução da produção em US$ 30 bilhões em 2019-20
Vários países, começando pelos EUA, decidiram deixar de utilizar a empresa para suas infraestruturas de telecomunicações, em particular para construir redes de telefonia 5G. Huawei Reuters/Aly Song As vendas no exterior de smartphones da Huawei registraram queda de 40% este ano, afetadas pelas sanções comerciais dos Estados Unidos, admitiu nesta segunda-feira (17) o fundador do grupo chinês de telecomunicações, Ren Zhengfei. A empresa informou ainda que reduzir sua produção em 2019 e 2020 por um valor equivalente a US$ 30 bilhões. O grupo chinês é acusado pelo governo dos Estados Unidos de espionagem, o que levou Washington a aplicar sanções. O valor representa uma contração de quase um terço da produção. Em 2018, a Huawei teve um faturamento de mais de US$ 100 bilhões. "Nos próximos dois anos, a empresa reduzirá sua produção em 30 bilhões de dólares", declarou Ren, 74 anos, em uma entrevista coletiva na sede do grupo em Shenzhen, sul da China. Ren, um ex-engenheiro do exército chinês, que fundou o grupo de telecomunicações nos anos 1980, comparou a Huawei a um avião avariado que voltará a ganhar impulso a partir de 2021. "Em 2021, vamos recuperar nossa vitalidade para servir a humanidade", prometeu. Vários países, começando pelos Estados Unidos, decidiram deixar de utilizar a Huawei para suas infraestruturas de telecomunicações, em particular para construir redes de telefonia 5G. EUA mantêm pressão sobre a Huawei após empresa entrar na Justiça contra sanções comerciais A medida é um duro revés para a Huawei, número dois mundial na telefonia móvel, que depende dos chips eletrônicos americanos para fabricar seus smartphones. Google anunciou que deixará de colaborar com a Huawei, grupo ao qual disponibiliza o sistema operacional Android para seus telefones. Washington está preocupado com o avanço da Huawei nas infraestruturas 5G, a quinta geração da telecomunicação móvel, uma área na qual a empresa chinesa é considerada líder.
Veja Mais

17/06 - Receita paga R$ 83,8 milhões no 1º lote de restituição do IRPF 2019 na região de Campinas
Oito cidades que pertencem à Delegacia Regional recebem o valor nesta segunda-feira (17). Veja como consultar a situação da sua declaração. Receita Federal paga primeiro lote de restituições do IRPF 2019 nesta segunda-feira (17). Marcos Santos/USP Imagens A Receita Federal paga nesta segunda-feira (17) o primeiro lote de restituições do Imposto de Renda de Pessoas Físicas (IRPF) 2019. Na região de Campinas (SP), R$ 83.876.617,97 serão pagos às oito cidades que pertencem à Delegacia Regional. São elas: Campinas, Hortolândia, Sumaré, Indaiatuba, Jaguariúna, Paulínia, Valinhos e Vinhedo. O valor referente a lotes residuais também integram o montante. Em todo o Brasil, serão depositados R$ 5,1 bilhões a 2.573.186 contribuintes. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2019 A prioridade deste lote é para idosos e pessoas com alguma deficiência física ou mental, ou ainda pessoas com doenças graves. Clique aqui para consultar se você está no primeiro lote O prazo para entrega da declaração em multa foi 30 de abril. Nas 31 cidades da região de Campinas, 801.266 formulários foram entregues. O valor a ser pago nesta segunda-feira corresponde a 45.810 declarantes. Consulta IRPF 2019 depende de dados como CPF e data de nascimento. Reprodução/Site da Receita Federal Restituições de anos anteriores Contribuintes da região de Campinas têm pendências a receber de declarações desde 2011. Todos os valores serão corrigidos pela taxa Selic. Confira o montante referente a cada ano na tabela abaixo: Valores do 1º lote de restituição do IRPF 2019 na Delegacia Regional de Campinas da Receita Federal Veja datas de pagamento dos próximos lotes: 1º lote, em 17 de junho de 2019 2º lote, em 15 de julho de 2019 3º lote, em 15 de agosto de 2019 4º lote, em 16 de setembro de 2019 5º lote, em 15 de outubro de 2019 6º lote, em 18 de novembro de 2019 7º lote, em 16 de dezembro de 2019 Malha fina A Receita informou que é possível checar se a declaração foi processada. Se ela estiver na fila de pagamentos, significa que as informações prestadas estão coerentes com o banco de dados da Receita. O órgão tem até cinco anos para pedir esclarecimentos sobre as declarações dos contribuintes. A verificação pode ser feita pelo serviço Meu Imposto de Renda da Receita Federal. Para isso, é preciso gerar um código de acesso, a partir do número do CPF, data de nascimento e recibos de entrega das duas últimas declarações. Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Veja Mais

17/06 - Mercado passa a estimar, pela 1ª vez, alta do PIB abaixo de 1% em 2019 e vê queda de juros
É a 16ª queda seguida na estimativa dos analistas para o crescimento da economia neste ano. Expectativa de inflação recua para 3,84% e mercado começa a prever corte de juros. Os analistas das instituições financeiras baixaram a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 1% para 0,93%. Foi a 16ª queda consecutiva do indicador e, pela primeira vez neste ano, abaixo de 1%. A previsão consta no boletim de mercado também conhecido como relatório "Focus", divulgado nesta segunda-feira (17) pelo Banco Central (BC). O relatório é resultado de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras. As revisões para baixo na expectativa de crescimento do mercado financeiro para o PIB deste ano começaram, com mais intensidade, após a divulgação do resultado do ano passado – quando a economia avançou 1,1% – e continuaram após a divulgação de uma contração no primeiro trimestre de 2019 (tombo de 0,2%). No fim de março, o Banco Central estimou expansão de 2% para a economia brasileira neste ano (número pode ser revisto no fim de junho) e, na mais recentemente, o Ministério da Economia baixou a previsão de crescimento de 2,2% para 1,6% em 2019. O mercado financeiro revisou, ainda, a projeção de crescimento para 2020 de 2,23% para 2,20%. Foi a segunda queda seguida no indicador. Os economistas dos bancos não alteraram a previsão de expansão da economia para 2021 e para 2022 – que continuou em 2,5% para os dois anos. Inflação Para 2019, os economistas do mercado financeiro reduziram a expectativa de inflação de 3,89% para 3,84%. A meta central deste ano é de 4,25%, e o intervalo de tolerância do sistema de metas varia de 2,75% a 5,75%. A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic). Recentemente, o IBGE informou que o IPCA ficou em 0,13% em maio, o que representa uma desaceleração ante a taxa de 0,57% de abril. Foi o menor resultado para um mês de maio desde 2006 (0,10%). Para 2020, o mercado financeiro manteve em 4% a estimativa de inflação – em linha com a meta central de 4% para o próximo ano. No ano que vem, a meta terá sido oficialmente cumprida se a inflação oscilar entre 2,5% e 5,5%. Corte na taxa Selic Com a previsão de PIB em queda livre e a inflação bem comportada, o mercado financeiro começou a apostar em redução da taxa básica de juros da economia brasileira ainda neste ano. Na semana passada, a expectativa para a taxa Selic, fixada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central para controlar a inflação, passou de 6,5% para 5,75% ao ano no fim de 2019. A taxa de juros básica da economia está estável em 6,5% ao ano (o menor nível da história) desde março de 2018. Quando as estimativas para a inflação estão em linha com as metas, o BC reduz os juros. Quando estão acima da trajetória esperada, a taxa Selic é elevada. A previsão dos economistas do mercado financeiro é que a taxa Selic comece a cair em meados de setembro deste ano, quando passaria para 6,25% ao ano. A expectativa é de novo corte, para 6% ao ano, no fim de outubro e outra redução, para 5,75% ao ano, em dezembro. Para o fim de 2020, a previsão do mercado para a taxa Selic caiu de 7% para 6,5% ao ano. Desse modo, os analistas continuam prevendo alta nos juros no ano que vem – embora em menor intensidade. Outras estimativas Dólar - A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2019 ficou estável em R$ 3,80 por dólar. Para o fechamento de 2020, permaneceu em R$ 3,80 por dólar. Balança comercial - Para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção em 2019 subiu de US$ 50,14 bilhões para US$ 50,50 bilhões de resultado positivo. Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado subiu de US$ 45,55 bilhões para US$ 46 bilhões. Investimento estrangeiro - A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2019, cresceu de US$ 83,60 bilhões para US$ 84,30 bilhões. Para 2020, a estimativa dos analistas permaneceu em US$ 84,36 bilhões.
Veja Mais

17/06 - Grande Recife e Zona da Mata oferecem 139 vagas de emprego
Oportunidades são distribuídas em nove cidades: Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ipojuca, Nazaré da Mata, Paudalho, Paulista, Recife e Vitória de Santo Antão. Há 139 vagas de emprego nesta segunda-feira (17) em nove cidades pernambucanas Fernando Madeira/Divulgação A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (Seteq) oferece, nesta segunda-feira (17), 139 vagas de emprego em nove cidades do Grande Recife e da Zona da Mata. Há oportunidades nas áreas de comércio e serviços e, do total de vagas, 34 são para pessoas com deficiência. As oportunidades são oferecidas nas cidades de Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ipojuca, Nazaré da Mata, Paudalho, Paulista, Recife e Vitória de Santo Antão. Caso haja interesse em alguma das vagas, é necessário comparecer a uma das unidades da Agência do Trabalho. Confira as oportunidades Vagas em Camaragibe Vaga em Igarassu Vagas em Ipojuca Vagas em Nazaré da Mata Vagas em Paudalho Vaga em Paulista Vagas no Recife Vagas em Vitória de Santo Antão Vagas para pessoas com deficiência
Veja Mais

17/06 - Concurso da prefeitura de Aroeiras, PB, inscreve até esta segunda-feira
São 158 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade, com salários de até R$ 9 mil. Divulgação Estão abertas até esta segunda-feira (17) as inscrições no concurso da prefeitura de Aroeiras, no Agreste paraibano. O concurso oferece 158 vagas de emprego para cargos de todos os níveis de escolaridade. As provas são em julho e os salários variam entre R$ 1.006 e R$ 9 mil. Veja edital do concurso da prefeitura de Aroeiras De acordo com o edital, os cargos com mais vagas são os de auxiliar de serviços gerais e professor P2, com 10 oportunidades cada. O primeiro cargo exige nível fundamental incompleto e o segundo exige curso superior. O cargo com maior salário é o de médico clínico geral, com cinco vagas para pessoas com curso superior em medicina. Além destes cargos, também há vagas para agente administrativo, agente comunitário de saúde, agente fiscal de tributos, assistente social, atendente de consultório dentário, auxiliar de serviços gerais (limpeza urbana), cirurgião buco-maxilo, cirurgião dentista, condutor socorrista plantonista, coordenador pedagógico, coveiro, digitador, educador físico, endodontista, enfermeiro, enfermeiro plantonista, enfermeiro socorrista plantonista, engenheiro agrônomo, farmacêutico, fiscal de obras, fiscal de vigilância sanitária e ambiental, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, instrutor de banda, médico (ginecologista), médico (pediatra), médico plantonista, médico psiquiatra, médico socorrista plantonista, médico veterinário, motorista B e D, motorista de transporte escolar, nutricionista, operador de motoniveladora, operador de retroescavadeira, periodontista, professor P3 (ciências, educação física, ensino religioso, ética, geografia, história, matemática, português), psicólogo, psicólogo educacional, psicopedagogo, supervisor pedagógico, técnico de laboratório, técnico do trabalho, técnico em enfermagem, técnico em enfermagem plantonista, técnico em enfermagem socorrista plantonista, técnico em contabilidade e tratorista. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet, no site da organizadora. As taxas de inscrição custam R$ 50 para cargos de nível fundamental, R$ 70 para cargos de nível médio e R$ 95 para cargos de nível superior. As provas estão previstas para acontecer no dia 21 de julho. Concurso da Prefeitura de Aroeiras Vagas: 158 Níveis: fundamental, médio e superior Salários: R$ 1.006 a R$ 9 mil Prazo de inscrição: até 17 de junho Local de inscrição: site da organizadora, Contemax Taxas de inscrição: R$ 50 (nível fundamental), R$ 70 (médio) e R$ 95 (superior) Provas: 21 de julho Edital do concurso da Prefeitura de Aroeiras
Veja Mais

17/06 - Mais de 160 concursos estão com inscrições abertas para preencher 14 mil vagas
As oportunidades são para profissionais de todos os níveis de escolaridade. 168 concursos que estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (17) reúnem mais de 14 mil vagas, para profissionais de todos os níveis de escolaridade. As oportunidades são para trabalhar em diversos estados pelo país. CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS E OPORTUNIDADES Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Somente na Prefeitura de São Paulo (SP), um concurso com 1.737 vagas tem postos para pessoas com nível médio e superior de escolaridade. Os salários chegam a R$ 5.187,01. Na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, há 1.109 vagas, e remuneração de até R$ 1.541,14. As inscrições para os dois concursos terminam no dia 5 de julho. Os salários chegam a R$ 20.915,29 na Prefeitura de Palma Sola (SC), que tem 30 vagas para profissionais de todos os níveis de escolaridade. As inscrições terminam no dia 24 de junho. Veja mais informações no site da organizadora do concurso. Já na Prefeitura de Pindamonhangaba (SP), a remuneração chega a R$ 15.883,19. O concurso busca preencher 127 vagas, com postos para pessoas de todos os níveis de escolaridade. As inscrições vão até o dia 6 de julho, segundo edital disponível no site da organizadora. Somente nesta segunda, 14 concursos públicos abrem inscrições para preencher mais de 1 mil vagas. Veja quais são: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano Veja mais informações Prefeitura de Campo Grande (MS) Veja mais informações Prefeitura de Ingaí (MG) Veja mais informações Prefeitura de Piracicaba (SP) Veja mais informações Prefeitura de São Simão (SP) Veja mais informações Prefeitura de Teixeiras (MG) Veja mais informações Prefeitura de Vicência (PE) Veja mais informações Prefeitura de Vicentinópolis (GO) Veja mais informações Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais Veja mais informações Universidade Federal da Fronteira do Sul (UFFS) Veja mais informações Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Veja mais informações Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Veja mais informações Universidade Federal de Sergipe (UFS) Veja mais informações Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Veja mais informações
Veja Mais

17/06 - 65% das pessoas que guardam dinheiro escolhem poupança, diz pesquisa; medo e costume estão entre as justificativas
A segunda forma de poupar mais comum entre os brasileiros é deixar dinheiro em casa, citada por 25% dos entrevistados. Poupança segue no posto de investimento preferido dos brasileiros Marcelo Brandt / G1 Apesar dos rendimentos menores na comparação com outros investimentos, a poupança continua sendo a modalidade favorita entre os brasileiros que guardam algum dinheiro. Segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), essa é a escolha de 65% das pessoas. A segunda forma de poupar mais comum entre os brasileiros é deixar dinheiro em casa, citada por 25% dos entrevistados - ainda que a prática seja motivo de alerta entre especialistas por questões de segurança. Já deixar dinheiro parado na conta corrente é a opção de 20%. Apenas 8% dizem que investem em previdência privada e 8%, no Tesouro Direto. OUÇA: Poupança x Tesouro Direto: qual rende mais? OUÇA: Fique por dentro do Tesouro Direto OUÇA: Como se preparar para a aposentadoria O levantamento, antecipado ao G1, aponta que o perfil conservador do brasileiro ajuda a explicar esses números. Entre as justificativas para não procurar investimentos com rendimentos considerados mais vantajosos estão: preferência por aplicação que permita sacar com facilidade (28%) não ter sobras para procurar outros investimentos (28%) costume (20%) medo de perder dinheiro (17%) "É preciso que alguns paradigmas sejam abandonados, como a crença de deixar todos os recursos apenas em aplicações com as quais o brasileiro já está acostumado. Se a intenção é manter o dinheiro aplicado por muito tempo, a diferença de rendimento entre a tradicional poupança e outras modalidades pode ser relevante", disse em nota o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior. Para onde vai o dinheiro guardado? A pesquisa também verificou quais os principais objetivos das pessoas que poupam algum dinheiro com regularidade. Para a maioria (60%), poupar significa uma proteção contra imprevistos como o desemprego ou despesas inesperadas com saúde. O estudo mostra que, de fato, tirar dinheiro da poupança para cobrir despesas inesperadas é uma realidade entre muitos brasileiros. Entre os entrevistados, 40% contam que tiveram que sacar parte do dinheiro guardado, e uma das justificativas mais citadas (10%) é a necessidade de cobrir despesas imprevistas. "Deixar dinheiro guardado para o caso de imprevistos é uma estratégia inteligente. Assim, em momentos de aperto, evita-se recorrer a empréstimos ou algum outro tipo de crédito, que pode cobrar juros elevados e dificultar ainda mais a situação financeira", disse em nota o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli. OUÇA: Como montar a sua reserva de emergência OUÇA: Poupança, o investimento preferido do brasileiro Mas nem todo o dinheiro sacado da poupança é usado pelos consumidores para cobrir gastos que vieram de surpresa. Entre os entrevistados pela pesquisa, 13% dizem que tiveram que tirar dinheiro da aplicação para pagar contas do mês. Outros 10% fizeram a retirada para quitar dívidas atrasadas.
Veja Mais

17/06 - Receita paga 1º lote de restituições do Imposto de Renda 2019 nesta segunda-feira
Serão distribuídos R$ 5,1 bilhões a 2.573.186 contribuintes idosos e com algum tipo de deficiência ou doença grave. Receita paga nesta segunda-feira (17) 1º lote de restituições do Imposto de Renda A Receita Federal paga nesta segunda-feira (17) o primeiro lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas (IRPF) de 2019, e lotes residuais de anos anteriores. De acordo com o Fisco, serão depositados R$ 5,1 bilhões, a 2.573.186 contribuintes idosos e com algum tipo de deficiência ou doença grave, sendo R$ 4,99 bilhões somente para o IR 2019 - ano-base 2018. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2019 Neste lote, receberão a restituição os contribuintes idosos (245.552 pessoas acima de 80 anos), 2.174.038 contribuintes entre 60 e 79 anos e 153.596 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave - com prioridade no recebimento dos valores. Clique aqui para consultar se você está no primeiro lote de restituição. Neste ano, a Receita Federal recebeu 30.677.080 até o dia 30 de abril, prazo final para a entrega do documento sem multa. O órgão esperava receber 30,5 milhões de declarações do Imposto de Renda 2019. Veja as datas de pagamento dos lotes de restituição do IR neste ano: 1º lote, em 17 de junho de 2019; 2º lote, em 15 de julho de 2019; 3º lote, em 15 de agosto de 2019; 4º lote, em 16 de setembro de 2019; 5º lote, em 15 de outubro de 2019; 6º lote, em 18 de novembro de 2019; 7º lote, em 16 de dezembro de 2019. + Como a Receita corrige as restituições? Como saber quanto vou receber? Malha fina A Receita informou que é possível checar se a declaração foi processada. E se ela estiver já na fila de pagamentos, as informações prestadas estão coerentes com o banco de dados da Receita – indicando que a declaração, a princípio, não tem pendências (a Receita Federal tem até cinco anos para pedir esclarecimentos sobre as declarações). A verificação pode ser feita pelo serviço Meu Imposto de Renda da Receita Federal. Para isso, é preciso gerar um código de acesso, a partir do número do CPF, data de nascimento e recibos de entrega das duas últimas declarações. + Quer antecipar a restituição do IR 2019? Veja as taxas cobradas pelos bancos
Veja Mais

17/06 - Subsídios a combustíveis fósseis somaram R$ 85 bilhões no Brasil em 2018, diz estudo
Segundo levantamento do Inesc, maior parte dos incentivos (73%) foi concedida ao consumo de produtos derivados de petróleo, carvão mineral e gás natural. Subsídios ao consumo de combustíveis somaram R$ 62,24 bilhões em 2018, segundo Inesc Marcelo D. Sants/Framephoto/Estadão Conteúdo O governo federal concedeu R$ 85,1 bilhões em subsídios à produção e ao consumo de combustíveis fósseis em 2018, segundo estudo do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), divulgado nesta segunda-feira (17). O levantamento considera petróleo, carvão mineral e gás natural. A cifra abrange recursos que saíram diretamente do Orçamento da União para incentivar o setor (R$ 11,8 bilhões, ou 14%) e também quantias que o governo deixou de arrecadar em impostos, devido a regimes de tributação especiais e programas de isenção. O valor equivale a mais de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) do país no ano passado (de R$ 6,8 bilhões), a 2,8 vezes o orçamento do Bolsa Família (R$ 30 bilhões) e 2 vezes o total de recursos disponíveis para o seguro-desemprego (R$ 40,6 bilhões). Dos R$ 85 bilhões em subsídios: R$ 62,24 bilhões foram para incentivar o consumo R$ 22,89 bilhões foram para a produção A grande maioria dos subsídios é voltada para o consumidor: R$ 62,24 bilhões (ou 73% do total). Consta nesse valor a redução das alíquotas do PIS/Cofins e da Cide para a compra de gasolina e diesel, equivalentes a perdas de R$ 2,88 bilhões e R$ 47,4 bilhões na arrecadação. Também entra na conta a subvenção ao preço do diesel anunciada pelo governo após a greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. À época, o governo baixou o preço do litro do combustível em R$ 0,16 o litro, mas bancou a diferença para evitar prejuízos aos produtores. A medida teria um custo total de R$ 9,5 bilhões aos cofres públicos, dos quais R$ 4,81 bilhões foram gastos em 2018, de acordo com o Inesc. O restante dos subsídios ao consumo corresponde às contribuições pagas pelos consumidores nas contas de luz para a compra de combustíveis para geração de energia. Já os subsídios à produção somaram R$ 22,89 bilhões (27% do total) no ano passado. Nessa conta, entram os regimes tributários especiais, com destaque para a suspensão de cobrança de impostos como Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e PIS/Cofins para empresas beneficiárias do Repetro. Também entram na conta os programas Reide, Reporto e outras isenções. "Os subsídios ao consumo de combustíveis fósseis, tanto para transporte como para geração de energia, representam uma grande despesa para os cofres públicos, distorcem o sistema de preços, não levam em conta os elevados custos ambientais e sociais associados ao seu uso e dificultam a busca de alternativas", diz em nota Alessandra Cardoso, assessora política do Inesc. Subsídios a combustíveis fósseis prejudicam expansão da energia verde O instituto aponta que há pouca transparência sobre quais são as empresas que recebem esses subsídios e quais os valores recebidos ou economizados por elas. A ONG propõe a criação de uma lei que torne essas informações públicas e o estabelecimento de uma metodologia de mensuração desses incentivos, por exemplo. Metodologia O cálculo para estimar os subsídios concedidos em 2018 foi feito a partir de uma metodologia desenvolvida pelas instituições Overseas Development Institute (ODI), em parceria com Oil Change International (OCI) e International Institute for Sustainable Development (IISD), com base em dados oficiais. Entre as fontes, estão estimativas de gasto tributário e relação anual de desonerações publicadas pela Receita Federal; dados obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação; a série histórica do volume das vendas de derivados de petróleo divulgada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP); a previsão de despesas em contas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel); e a execução orçamentária para os gastos diretos do Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (Siop). Veja o quanto cada subsídio contribuiu para o número final de 2018, por modalidade: Subsídio a combustíveis fósseis em 2018 Divulgação/Inesc
Veja Mais

17/06 - Perícia nos diálogos do Telegram pode ser tecnicamente impossível, diz professor
Nos últimos dias, conversas atribuídas ao então juiz Sérgio Moro e procuradores da Operação Lava Jato dominaram o noticiário político do Brasil. A pedido do Fantástico, especialistas analisam a segurança do Telegram. Conheça a vida exótica do milionário russo que criou o aplicativo Telegram Nos últimos dias, conversas atribuídas ao então juiz Sérgio Moro e procuradores da Operação Lava Jato dominaram o noticiário político do Brasil. A comunicação teria ocorrido por um aplicativo de troca de mensagens – o Telegram – e publicada pelo site The Intercept. Segundo o site, elas mostrariam que o então juiz Sérgio Moro não foi imparcial ao julgar e condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O Intercept diz que recebeu as mensagens de uma fonte anônima e que checou sua autenticidade. Moro denunciou no dia 4 de junho que foi vítima de um hacker. Deltan Dalagnoll denunciou em abril que também teve seu celular hackeado. Os dois questionam a autenticidade das mensagens alegando que elas podem ter sido adulteradas. Independentemente de como as mensagens foram obtidas, os usuários dos aplicativos se questionam: o Telegram é mais seguro – ou não? E quem é o exótico milionário russo que criou o aplicativo? Posando sem camisa no deserto, um homem quer mostrar saúde. Ele é o exótico bilionário russo Pavel Durov, de 34 anos. Faz 15 anos que Pavel não bebe álcool, não usa drogas, não ingere nada que tenha cafeína, não come carne. Mais recentemente, ele passou a comer... Nada. Diz que está vivendo só à base de água. Mas Pavel Durov não se resume a folclore e esquisitices. Ele é inimigo de um dos homens mais poderosos do mundo, o presidente russo, Vladimir Putin. Ele teve que fugir da Rússia. Passou anos vagando pelo planeta, no máximo cinco semanas em cada lugar. Só nos últimos tempos parou num endereço fixo: Dubai, nos Emirados Árabes. E, de lá, ele comanda seu império. Pavel fundou em 2006 a VK, que se tornou a rede social mais popular da Rússia. Grupos de oposição a Putin começaram a usar a VK pra se organizar. O governo foi pra cima. E apoiou um fundo de investimentos que, na marra, comprou a empresa de Pavel. Ele foi obrigado a aceitar a venda. A essas alturas, já tinha saído escondido da Rússia. Pegou o dinheiro, cerca de R$ 1,5 bilhão, em valores de hoje, e se instalou, primeiro, nos Estados Unidos. E foi de lá que ele anunciou que já vinha trabalhando em um novo projeto, o aplicativo de troca de mensagens Telegram. Pois é, o mesmo Telegram que, nos últimos dias, está no centro do noticiário político no Brasil. Isso porque teriam sido extraídas do Telegram as conversas que o site The Intercept publicou nesta semana. São mensagens que o site atribui ao então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, e a procuradores da Operação Lava Jato. No domingo passado, o Intercept divulgou um primeiro bloco de trocas de mensagens atribuídas a Moro e a procuradores, incluindo o chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol. Segundo o site, os diálogos mostram que o então juiz Sérgio Moro teria orientado ações, o que é proibido pela Constituição, e teria cobrado novas operações dos procuradores. Moro também teria reclamado do tempo entre uma operação e outra. Em outro trecho da conversa, segundo o Intercept, Moro teria passado para Dallagnol pistas de uma transferência de propriedade para um dos filhos de Lula. Durante a semana, o Intercept publicou trechos completos desses diálogos. E, na sexta-feira, uma nova troca de mensagens. No diálogo, de acordo com o Intercept, no mesmo dia em que ouviu o ex-presidente Lula pela primeira vez, Moro teria sugerido ao Ministério Público a publicação de uma nota oficial contra a defesa do ex-presidente. Moro e os procuradores negam ter visto impropriedades nas mensagens publicadas domingo passado e não reconhecem a autenticidade das conversas que o Intercept divulgou. Acrescentam que sofreram uma "invasão criminosa" e que, se mensagens foram extraídas de seus telefones, elas podem ter sido adulteradas. Ainda nesta reportagem, especialistas vão explicar se isso é possível. E, caso seja, se há como provar a autenticidade e a integridade das conversas. O fundador do Telegram, Pavel Durov, sempre contou vantagem da segurança do aplicativo. Chegou a chamar o principal concorrente, o WhatsApp, de "porcaria". Questionado por que existe uma percepção de que o Telegram é mais seguro que o WhatsApp, o professor Marcos Simplicio, do Departamento de Engenharia da Computação da USP, responde: “Não tenho tanta certeza da percepção, porque na área técnica não se coloca tanto o Telegram como o mais seguro”. Pra comparar os aplicativos, vamos entender o que é uma mensagem ''criptografada" ou "encriptada". O professor da USP explica, com um exemplo de mensagem: ”Você manda o numero 1 2 3 4 5 6, quando ele tá encriptado o que vai acontecer é que ele vai ser um número maluco. 9 8 3 1 1 2”. Questionado se não fica só fora de ordem, ele diz: “Não é só fora de ordem. É embaralhado e substituído”. As mensagens normais do Telegram não são criptografadas de ponta a ponta. Elas saem "embaralhadas" do celular, mas depois são desembaralhadas nos servidores – que são os computadores de grande porte do aplicativo –, onde ficam armazenadas. “Privilegia essa questão de usabilidade. Usuários não vão perder as suas mensagens”, afirma Marcos Simplicio. Já no WhatsApp, as mensagens ficam guardadas só nos celulares dos usuários. E são criptografadas de ponta a ponta. “Qualquer pessoa que pegar no meio do caminho ela vai ver dados com aparência aleatória e não dá pra decifrar”, diz o professor da USP. Vamos supor que um criminoso invada uma conta de WhatsApp usando um outro celular ou um computador. Pode até entrar na conta, mas não vai conseguir "puxar" as mensagens antigas, porque elas estão guardadas só no celular do dono verdadeiro. Agora, se alguém invadir uma conta de Telegram, aí dá pra acessar as mensagens antigas, porque elas estão arquivadas num servidor. É só o invasor pedir o histórico que o servidor entrega. “Mesmo que o seu celular esteja desligado, mesmo que você não dê acesso direto a ele”, reforça Marcos Simplicio. Até existe um jeito de as mensagens do Telegram serem criptografadas de ponta a ponta. Mas, pra isso, é preciso entrar no chamado "chat secreto". “A pessoa tem que pensar: ‘Hoje eu vou mandar uma mensagem que eu preciso proteger, criar o tal do chat secreto pra fazer a proteção de fato, porque se não, ela vai ficar armazenada no servidor’”, diz o professor da USP. A gente já viu, então, que do WhatsApp não dá, mas do Telegram dá pra puxar mensagens antigas de uma conta invadida. Isso, é claro, se o verdadeiro dono da conta não tiver apagado as mensagens do celular, porque aí elas somem do servidor central também. Nesse caso que está acontecendo agora no Brasil, se o que, de fato, aconteceu foi uma invasão de conta, como é que essa invasão foi feita? Os especialistas têm algumas hipóteses mais prováveis. Primeira: o invasor usa o Telegram na versão pra computador, fornecendo o número da vítima. Aí... “O Telegram precisa saber que você é o dono do número do telefone. Pra isso, ele manda um código por SMS”, afirma Marcos Simplicio. Mas esse código SMS não tem nenhuma proteção, e pode ser interceptado no meio do caminho, por um invasor que consiga entrar no sistema da operadora. “O jeito mais fácil de capturar, de se passar por um usuário, é capturando esse código”, completa o professor da USP. Outra possibilidade: a chamada engenharia social. Começa quando o invasor descobre o número do celular da vítima. O especialista em segurança dá um exemplo de golpe. "Você postou um anúncio que tá vendendo alguma coisa. Em questão de minutos, você recebe uma ligação ou uma mensagem no seu telefone dizendo que, como eles estão tendo muita fraude, eles vão mandar uma mensagem com um código e você vai ter que informar esse código pra eles", afirma Roberto Rebouças, gerente-geral da Kaspersky Brasil. Ao mesmo tempo, de um computador, um invasor da mesma quadrilha está tentando entrar na conta do aplicativo de mensagens da vítima. E o aplicativo vai mandar um código pra fazer a autenticação. Quando o SMS do aplicativo chega, a vítima se confunde, pensa que aquela senha é a do site de anúncios, e acaba revelando pros criminosos o código que libera a invasão no aplicativo de mensagens. Seja qual for a origem das mensagens atribuídas a Moro e à Lava Jato, o ministro e os procuradores não reconhecem a autenticidade delas. E, segundo o professor da USP, vai ser quase tecnicamente impossível determinar de onde as mensagens realmente vieram, e se foram adulteradas. Isso tem a ver com a própria maneira como os aplicativos de mensagens são projetados. “Não dá pra provar que uma mensagem foi enviada de um certo celular. Então, tecnicamente, não dá pra dizer: 'Isso veio daqui, não teve alterações'. Não tem como”, diz Simplicio. “Dá pra fazer alterações nas mensagens, manipular a memória do celular pra dar a impressão de que veio de um outro usuário.” Em tese, haveria uma maneira de conferir a autenticidade das mensagens: compará-las àquelas que ainda estejam arquivadas nos celulares dos citados. O ministro Moro já declarou que não tinha mais Telegram ativo havia tempos. Os promotores, até o momento, nada falaram sobre isso. Mas, mesmo que eles deem seus celulares para exame, se houver discrepâncias entre as mensagens armazenadas e as publicadas no site, eles sempre poderão ser acusados de terem apagado certa quantidade ou trechos inteiros para inviabilizar a comparação. Uma perícia, portanto, que não seria à prova de questionamentos por uma das partes. O site Intercept Brasil nega com veemência que as mensagens que publica tenham origem num hacker. O site afirma que as recebeu de uma fonte e que checou a autenticidade, sem revelar como. Pra se proteger de ataques, a principal dica é ativar uma senha a mais no seu aplicativo de mensagens. “Uma segurança só e nenhuma é quase a mesma coisa. Você precisa ter vários níveis de segurança”, afirma Roberto Rebouças. Essa segundo nível de segurança pode ser acionado tanto no WhatsApp quanto no Telegram. Aí o acesso não vai depender só de um código mandado por SMS, mas de uma outra senha, que você mesmo criou. “Se você não entregar a senha, o sistema não vai te dar acesso às mensagens, à conta, nada do gênero”, diz Marcos Simplicio. Sobre o caso envolvendo as autoridades brasileiras, o Telegram disse que não há nenhum indício de invasão em seus servidores e que o mais provável é que tenham acontecido ataques diretamente aos celulares dos usuários. Também procuramos o criador do Telegram, Pavel Durov, pelo próprio aplicativo. Mas o misterioso bilionário russo, que vive em Dubai, não respondeu.
Veja Mais